CINE NEWS

Por Marco Antônio Moreira

Coluna assinada pelo presidente da Associação dos Críticos de Cinema do Pará (ACCPA), membro-fundador da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (ABRACCINE) e membro da Academia Paraense de Ciências (APC). Doutorando em Artes pelo PPGARTES/UFPA; Mestre em Artes pela UFPA. Professor de Cinema em várias instituições de ensino, coordenador-geral do Centro de Estudos Cinematográficos (CEC), crítico de cinema e pesquisador.

Produções independentes invadem canais de streaming; confira as melhores

Marco Antônio Moreira

Cinema em Casa

É necessário registrar as constantes estreias nos canais streaming que procuram atingir os mais diversos públicos. Com o crescimento destes canais tem sido evidente que muitos cinemaníacos têm procurado acompanhar filmes novos e clássicos de diversas épocas naqueles canais que tem boa curadoria. Entendo que é importante observar especialmente os canais que procuram prestigiar produções independentes que muitas vezes não tem espaço para exibição nas salas de cinema comerciais e ficam restringidos aos cinemas alternativos.

Em Belém, com a pandemia, cinemas como Olympia e Líbero Luxardo, além dos cineclubes, estão sem atividades de exibição devido à pandemia. É importante que o leitor fique atendo as novidades que são oferecidas no streaming que tem crescido progressivamente nos últimos anos, mas que definitivamente se fortaleceu nos últimos meses e deve continuar seu desenvolvimento mesmo após a vacinação e controle da pandemia.

Pesquisei boas indicações em diversos canais e divulgo para os leitores para que tenham curiosidade em procurar e assistir. Boas sessões!

- Belas Artes La Carte

My French Film Festival inicia no dia 15 de janeiro e terá exibições até 15 de fevereiro. O acesso é gratuito para assinantes e não assinantes. O cinema francês é um dos melhores e mais ativos do mundo cinematográfico e este festival, como outras mostras vinculadas ao cinema francês, permitirá que o espectador conheça novos filmes e clássicos produzidos no país dos irmãos Lumiére, inventores do cinema. 

A curadoria do Belas Artes destaca a exibição de quatro longas-metragens:

Camille (2019) de Boris Lojkine
Uma jovem francesa vai para África para batalhar pelo seu lugar no mundo do fotojornalismo. Em maio de 2014, soldados franceses a encontram morta na parte de trás de um veículo suspeito, junto com um líder rebelde de Balaka.

Orfeu (1950) de Jean Cocteau
Famoso poeta, apaixona-se obsessivamente por uma Princesa, a Morte. Enciumada, esta arquiteta a morte de Eurídice, desprezada esposa de Orfeu.

Donas de Alegria (2019) de Frédéric Fonteyne e Anne Paulicevich
O filme mostra três histórias de mulheres durante um verão escaldante entre o norte da França e a Bélgica. Axelle, Conso e Dominique nada têm em comum a não ser que são colegas e que, todos os dias, juntas, cruzam a fronteira.

Enorme (2020) de Sophie Letourneur
Claire é uma famosa pianista cuja vida é constantemente controlada por seu marido Frederic, que também atua como seu agente / treinador / acompanhante. Pelo bem da carreira de Claire, ambos decidiram não ter filhos; mas Frédéric muda de ideia depois de testemunhar um bebê sendo inesperado em público.

- Netflix

Nossas Noites (2017) de Ritesh Bara com Jane Fonda e Robert Redford - Uma viúva solitária decide convidar o vizinho também viúvo para dormir em sua casa. A proposta inusitada tem por objetivo ajudar os dois a vencer a insônia e monotonia de suas vidas.
Pieces of a Woman (2020) de Kornél Mundruczó - Uma mãe perde seu bebê e terá que lidar com as conseqüências que seu luto tem nas relações com o marido e a mãe.

- Mubi

Winter Song (2015) de Otar Iosseliani - Personagens com algumas semelhanças, no meio de todo o caos que vivem, ainda existem com chances de esperança por um amanhã melhor.
Nimic  (2019) de Yorgos Lanthimos - Uma interação no metrô entre um violoncelista profissional e uma desconhecida terá um efeito profundo na vida dele. Do mesmo diretor de O Lagosta e A Favorita.

- Supo Mungam Plus

Filhos da Guerra (1991) de Agnieszka Holland - Um jovem judeu foge com a família para a Polônia às vésperas da Segunda Guerra Mundial. A casa da família é invadida, mas ele consegue fugir levando o irmão. Os dois se separam e ele acaba se passando por membro da Juventude Hitlerista para manter-se vivo. Baseado numa história real.
Uma questão pessoal (2017) de Paolo & Vittorio Taviani - Um jovem membro da Resistência Italiana decide cruzar a região de Langhe, durante a Segunda Guerra Mundial, para investigar o paradeiro de uma antiga namorada. Dos mesmos diretores de extraordinários filmes como Pai Patrão e Bom Dia Babilônia.
Cine News
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!