Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

‘Peguei e joguei’, confessa mulher que jogou enteado do 4° andar de um prédio

Criança de 6 anos está internada com ferimentos pelo corpo e rosto

Emilly Melo

Uma mulher foi presa em flagrante pela Polícia Civil de Alagoas por tentativa de homicídio após confessar que jogou o enteado de 6 anos do 4° andar de um prédio na Cidade Universitária, em Maceió. O crime aconteceu na madrugada desta segunda-feira (23). Com informações do G1. 

VEJA MAIS

Madrasta presa por envenenar enteados foi contratada há 12 anos para fazer transporte escolar
A madrasta foi contratada pela mãe do menino há 12 anos para fazer transporte escolar, quando ele tinha 4 anos

Madrasta riu ao servir comida envenenada ao enteado e alegou que 'fez isso por amor'
Cíntia Mariano é acusada de matar a enteada e tentar tirar a vida do filho que o marido tinha de outro casamento

Madrasta é suspeita de envenenar os enteados com chumbinho; jovem de 22 anos morreu
A jovem passou mal e ficou internada por 13 dias, mas morreu no dia 27 de março. No dia 15 de maio, o irmão dela começou a passar mal após um almoço na casa da madrasta

A madrasta, de 31 anos, foi levada para a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde deu entrevista à TV Gazeta. "A gente discutiu. Ele [o pai da vítima] ficou ameaçando o meu filho mais velho. Eu disse a ele, se você matar o meu filho, eu mato o seu também. A gente ficou discutindo dentro de casa, foi na hora que eu peguei o filho dele e joguei", confessou a mulher.

Após o depoimento, a mulher foi autuada. "Ela foi presa após diligências da polícia, que fez buscas desde o ocorrido, e autuada em flagrante por tentativa de homicídio", informou o delegado Fábio Costa.

O pai do menino afirma que os dois bebiam juntos quando começaram a discutir por causa de uma crise de ciúmes. A criança foi levada para o Hospital Geral do Estado (HGE) às 2h40. Ele teve ferimentos no rosto e escoriações pelo corpo. Segundo o mais recente boletim médico, divulgado às 15h, o estado de saúde da criança é estável. 

De acordo com o conselheiro tutelar Ewerton Pita, o menino estava morando com o pai e a madrasta há 8 meses, desde que perdeu a mãe. “Eu não conversei com o menino porque ele estava sentindo muitas dores e com muitos hematomas, um caso que chocou bastante. O pai está com ele no HGE e nós estamos aguardando ele para registrar o caso na delegacia”, disse o conselheiro.

(*Emilly Melo, estagiária, sob supervisão de Keila Ferreira, coordenadora do Núcleo de Política)

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL