Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Cristian Cravinhos pede recurso judicial para censurar série sobre caso Richthofen

O acusado alega que a veiculação do conteúdo pode ser prejudicial à sua honra e conduta

Com informações do Metrópoles

Cristian Cravinhos, julgado como um dos cúmplices responsáveis por ajudar matar os pais de Suzane Von Richthofen, perdeu a ação judical ao tentar recorrer aos Tribunais Superiores para impedir a exibição da série Investigação Criminal, que relata detalhes do assassinato. A informação foi confirmada pelo colunista do portal UOL Rogério Gentile.

No entanto, os advogados de Cravinhos pretendem preparar recursos, denominado como admissibilidade, ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF), solicitado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

Cristian alega ter o ‘Direito ao Esquecimento’ e recorreu à Justiça para proibir a veiculação do próximo episódio. A ação pretende mover processo contra a produtora responsável pela série, Medialand Produção e Comunicação, as plataformas de streaming Netflix, Amazon e Looke. Caso vá ao ar, ele diz que exigirá uma indenização de R$ 500 mil pelo uso de doze fotografias com a sua imagem. 

Em sua defesa, a produtora Medialand alega que a Constituição ‘assegura a livre manifestação e o direito de informar repudiando veemente qualquer tipo de censura’ e acrescenta que a série tem viés documental. 

O advogado Leo Wojdyslawski, que defende a produtora, alegou que os prejuízos à honra e à imagem do músico não decorrem da série, mas sim, da ‘conduta totalmente reprovável’ de Cravinhos.

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL