‘Colômbia’ foi o mandante dos assassinatos de Bruno Pereira e Dom Phillips, diz PF

Suspeito está preso desde dezembro do ano passado por descumprir condições impostas por ocasião da concessão de liberdade provisória

Emilly Melo
fonte

O superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Alexandre Fontes, confirmou, nesta segunda-feira (23), a informação de que Rubens Dario da Silva Villar, conhecido como “Colômbia”, foi o mandante dos assassinatos do indigenista brasileiro Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips, ocorridos em junho do ano passado, no Vale do Javari (AM). Com informações do G1 e Agência Brasil.

"Não tenho dúvida de que o mandante foi o 'Colombia'. Temos provas que ele fornecia as munições para o Jefferson e o Amarildo, as mesmas encontradas no caso. Ele pagou o advogado inicial de defesa do Amarildo", disse o delegado.

VEJA MAIS 

image Vídeo mostra indigenista Bruno Pereira cantando na floresta
Imagem foi publicada pelo conselheiro indígena de Roraima, Enock Taurepang. Bruno e o jornalista inglês Dom Phillips desapareceram na Amazônia, há oito dias

image Polícia encontra embarcação usada por Dom Phillips e Bruno Pereira
Lancha foi localizada a cerca de 20 metros de profundidade, emborcada com seis sacos de areia para dificultar a flutuação

image Indígenas localizam telefone e documentos de Dom Philllips e Bruno Pereira
Os objetos foram localizados próximo ao local em que as vítimas foram mortas

Fontes disse que um relatório foi encaminhado à Justiça com mais seis indiciamentos pelos crimes de duplo homicídio qualificado e ocultação dos cadáveres. Antes, o Ministério Público Federal (MPF) denunciou Amarildo da Costa Oliveira, o Pelado; Oseney da Costa de Oliveira e Jefferson da Silva Lima por duplo homicídio qualificado por motivo fútil e ocultação de corpos.

Suspeito havia sido solto após pagar fiança

Colômbia está preso desde dezembro do ano passado. Ele havia sido solto após pagar uma fiança de R$ 15 mil, em outubro. A prisão dele foi novamente decretada pela Justiça Federal devido ao descumprimento das condições impostas por ocasião da concessão de liberdade provisória.

O superintendente disse ainda que, além de “Colômbia”, a PF também conseguiu identificar a participação de mais um irmão de Amarildo da Costa Oliveira no crime. Segundo ele, Edvaldo da Costa Oliveira forneceu a arma utilizada para matar Bruno e Dom.

"Temos mais uma pessoa identificada, que é o irmão do Amarildo, o Edvaldo da Costa Oliveira. Nas nossas investigações iniciais, ele teria participado da ocultação de cadáver, mas ficou evidente que ele participou materialmente. Ele entregou a espingarda calibre 16 nas mãos do Jeferson, ciente de que ele a utilizaria no assassinato de Bruno e Dom", disse o superintendente.

Arma ainda não foi encontrada

A espingarda usada no crime, segundo Fontes, ainda não foi encontrada. A Polícia Federal chegou a usar detectores de metal no rio onde aconteceu os assassinatos e também na área onde os corpos foram enterrados, mas sem sucesso. O segundo irmão de Amarildo também vai responder como partícipe nas mortes.

"A motivação é a pesca ilegal na região do Vale do Javari. E o autor intelectual, não tenho dúvidas, é o 'Colombia'. Era ele também que fornecia embarcações para a pesca ilegal na região", explicou o delegado.

Fontes afirmou que Colômbia teria ligado para Amarildo na segunda-feira após o crime. As autoridades não tiveram acesso ao conteúdo da chamada, mas sabem que os dois conversaram por quase dois minutos.

(*Emilly Melo, estagiária, sob supervisão de Hamilton Braga, coordenador do Núcleo de Política)

Brasil
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL