Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Advogados desistem de defender anestesista preso por estupro de paciente em parto

O médico foi preso em flagrante na manhã desta segunda-feira (11)

Luciana Carvalho

Nesta terça-feira (12), os advogados de Giovanni Quintella Bezerra afirmaram que não vão mais trabalhar na defesa do médico anestesista, que foi preso em flagrante por estuprar uma mulher durante uma cesariana, dentro de uma sala de cirurgia, no Rio de Janeiro. As informações são do portal Uol.

Médico é preso em flagrante por estuprar paciente que passava por cesárea
No vídeo do flagra, o homem aparece colocando o pênis na boca da paciente durante o parto

"O Escritório Novais Advogados Associados informa que não possui interesse na contratação dos serviços do caso do médico anestesista, desejando sorte na defesa com seu futuro patrono", disseram os advogados, em nota.

O médico, de 32 anos, foi preso em flagrante na manhã desta segunda-feira (11), depois que enfermeiras do Hospital da Mulher, em Vilar dos Teles, suspeitaram de sua atuação nas salas de cirurgia e decidiram filmar, com um celular escondido.

VEJA MAIS

'Me mandou sair na metade do parto', diz marido de outra vítima do médico anestesista
Giovanni Quintella foi preso na segunda-feira (11) após ser filmado estuprando uma mulher durante a cirurgia de cesárea, no Rio de Janeiro

Lei do acompanhante: entenda o direito que grávidas possuem durante o trabalho de parto
Lei existe desde 2005, mas ainda é pouco conhecida

Material usado por anestesista para limpar boca de vítima após estupro vai ser periciado
O caso ocorreu no último domingo (10) e foi denunciado por funcionários do hospital, que gravaram o ato

Entenda o caso

Nas imagens, a mulher aparece deitada e inconsciente durante o parto. Do lado direito do lençol, sempre usado em cesarianas, o médico aparece colocando o pênis para fora e introduzindo o órgão da boca da mulher.

O ato dura dez minutos e teria ocorrido após o nascimento do bebê, com a mãe ainda inconsciente por conta da alta quantidade de anestesia recebida. Do outro lado do lençol, a menos de um metro de distância, está a equipe médica trabalhando no nascimento do bebê.

Antes de ser flagrado, o anestesista já havia participado de outras duas cirurgias e apresentado o comportamento suspeito.

(Luciana Carvalho, estagiária da Redação sob supervisão de Keila Ferreira, Coordenadora do Núcleo de Política).

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL