Usuários reclamam de longa espera por coletivos nos terminais do BRT

As queixas se concentram em relação aos coletivos que fazem linha para o Tapanã e Icoaraci/Maracacuera.

Pablo Costa

Quem costuma aguardar pelos coletivos da linha troncal Tapanã – Ver-o-peso nos terminais de integração do sistema BRT reclama por conta da longa espera que, as vezes, chega a aproximadamente 45 minutos. Esse foi o tempo que a costureira Maria da Conceição, de 49 anos, levou para conseguir embarcar na manhã desta terça-feira (10). “O BRT até que é rápido, mas quando chega no terminal de integração você tem que esperar muito pelo coletivo que vai para o bairro. Eu, por exemplo, estou aqui há bastante tempo esperando o Tapanã é só passa Icoaraci/Maracacuera. Eles colocam muitos pra Icoaraci e esquecem dos bairros” reclamou a usuária. “Uma viagem que era pra ser rápida se torna longa por conta dessa demora" acrescentou.

As reclamações não param por aqui. Seu Antônio Carlos, de 58 anos, conta que o trajeto de sua residência até seu local de trabalho, em média, dura cerca de 1h e 30 minutos se for feito pela linha normal. Com a chegada da linha troncal, com a integração do BRT, o percurso reduziu para aproximadamente 40 minutos. Mas, segundo ele, a longa espera pelos coletivos nos terminais de integração acaba sendo igual ao tempo da viagem pela linha normal. “Isso é uma desvantagem. É a mesma coisa que trocar seis por meia dúzia. A gente acaba tendo que esperar o dobro do tempo para embarcar em outro coletivo” reforçou.

Por conta da longa espera, usuários acabam tendo que pagar duas passagens para chegar aos seus destinos. “Para não ficar esperando muito tempo e correr o risco de chegar atrasada no meu trabalho eu prefiro pegar outro coletivo quando desço do BRT. Mas pra isso tenho que pagar uma nova passagem, ou seja, essa integração não funciona para mim”, argumentou a vendedora Cláudia Barbosa.   

Em nota a Prefeitura de Belém, por meio da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob), esclarece que a linha troncal Tapanã – Ver-o-Peso, operada por ônibus padron, contempla apenas uma parcela dos veículos destinados à população. A outra parte da frota continua operando em ônibus comuns e, por isso, não entram na pista do BRT.

A nota da Prefeitura informa, ainda, que o fluxo de usuários do sistema BRT é analisado constantemente e que faz adequações no serviço de acordo com a demanda.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM BELÉM