Residencial é reocupado no Tenoné durante festejos de aniversário de Belém

Famílias voltaram aos apartamentos da obra, que deveria ter sido concluída em janeiro de 2016

Dilson Pimentel

Uma obra que deveria estar pronta desde 2016, o Residencial Tenoné II, em Belém, foi novamente ocupado por muitas famílias neste fim de semana. A reocupação começou na noite de sábado (11) e continuou na manhã deste domingo (12), dia do aniversário de Belém. Segundo informações repassadas à redação integrada de O Liberal, representantes da Secretaria Municipal de Habitação, da Prefeitura de Belém, e guardas municipais estiveram no local pela manhã. As forças policiais retornaram ao residencial por volta das 15h para retirar as famílias e o clima ficou tenso.   

"O pessoal começou a chegar na noite de sábado. Eles começaram a chegar com mudança, e, pela manhã, já amanheceu ocupado", disse uma pessoa que preferiu não se identificar. A movimentação foi igual à de novembro passado.

 

Mudança iniciou ainda na noite de sábado (via redes sociais)

 

Uma placa informa sobre os serviços no Residencial Tenoné II (1ª etapa). Valor total da obra: R$ 26.148,840,09. Objeto: construção de 384 apartamentos. Agentes participantes: Governo do Estado do Pará, Prefeitura de Belém. Início da obra: agosto de 2014. Término: janeiro de 2016. Na placa também aparecem os nomes FAR (Fundo de Atendimento Residencial), Caixa e Ministério das Cidades". É uma obra do programa Minha Casa, Minha Vida. O conjunto fica no final da linha do ônibus Tenoné.

Ocupação é segunda em dois meses


No dia 17 de novembro de 2019, as famílias se mobilizaram para ocupar, no início da tarde daquele dia, também um domingo, os blocos de apartamentos da primeira etapa do Residencial Tenoné II, Elas disseram que vários blocos já estavam prontos, mas, segundo moradores da vizinhança, a entrega não ocorreu e os imóveis estavam abandonados.

As famílias começaram a se movimentar para ocupar os imóveis no final da manhã, quando um grande fluxo de pessoas começou a ser verificado na frente do residencial. A Guarda Municipal de Belém foi ao local para conter as ocupações. E as pessoas foram retiradas. "Infelizmente, essa é mais uma obra do governo que beneficia quem tem dinheiro, e não quem não tem. A gente sabe que é contra a lei isso, mas um residencial desse há anos pronto e o governo não consegue colocar gente que precisa para morar. A burocracia é demais e isso é o que acontece", disse, naquela ocasião,o vendedor Júnior Bastos, que mora em frente ao residencial.

Procurada pela reportagem, a Prefeitura Municipal de Belém disse, em nota, que "as pessoas que invadiram a unidade não fazem parte das selecionadas para o empreendimento". Segundo a administração municipal, o Residencial Tenoné "está em assinatura de contrato, para posterior vistoria e entrega aos selecionados".

Residencial do programa Minha Casa Minha Vida espera por entrega há quatro anos (via redes sociais)
Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM BELÉM