Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Principal suspeito de feminicídio no Sideral se entrega às autoridades; saiba mais

Familiares da vítima descobriram que Edisandro de Jesus da Costa é casado e havia escondido esse fato de todos

O Liberal

Edisandro de Jesus da Costa, de 32 anos, principal suspeito pela morte de Edrica Moreira Lopes da Silva, de 19 anos, se entregou ao Quartel do Comando do II BIS na tarde desta segunda-feira (22). O sargento militar temporário do Exército estava foragido desde o dia 11 de novembro, quando, segundo testemunhas, teria atirado contra a vítima, que era sua namorada, e atingido também uma amiga dela no Conjunto Jardim Sideral, em Belém. De acordo com familiares de Edrica, ele se apresentou no 2º Batalhão de Infantaria de Selva (2º BIS), localizado na avenida Almirante Barroso, acompanhado por um advogado e pela esposa.

"O cerco fechou. Ele não tinha mais opção, por isso se entregou", afirmou André Marvão, cunhado de Édrica. A família foi avisada por colegas de Edisandro, e em seguida recebeu da Polícia Civil a confirmação de que ele havia se apresentado no quartel. "Ele escondeu de todo mundo que era casado, só soubemos agora. A gente está esperando um posicionamento da polícia", relatou André.

VEJA MAIS:

Morre jovem de 19 anos baleada no Sideral; suspeito segue foragido Segundo uma irmã da estudante, Édrica foi atingida por quatro tiros, sendo dois abdômen, um na perna e um no braço

Vítima de feminicídio no Sideral falou sobre perdão dois dias antes de ser assassinada Édrica Moreira, de 19 anos, morreu na manhã desta segunda-feira (15), após ter sido baleada pelo ex na última quinta-feira (11)

No Sideral, jovem sofre tentativa de feminicídio e família pede doação de sangue A vítima teria sido baleada pelo ex-namorado. Uma amiga da jovem também foi atingida

Informações levantadas pelos familiares da vítima também dão conta de que antes do crime o suspeito já vinha ameaçando Édrica por não aceitar o término do relacionamento, que havia durado três meses. No final de outubro, a jovem chegou a procurar a polícia e pediu uma medida protetiva contra o ex-namorado. Além da prisão de Edisandro, a polícia também conseguiu apreender o carro que teria sido usado pelo atirador na noite do crime.

Relembre o caso

A jovem Édrica Silva, 19 anos, foi atingida por três tiros na noite de 11 de novembro, quando voltava de um ponto de lanche na praça do Sideral em companhia de uma amiga. No caminho para casa um carro parou perto das duas e de do banco de trás saltou um homem que anunciou um assalto. Porém, antes que qualquer uma delas tivesse a chance de entregar seus pertences, o atirador iniciou uma sequência de disparos que teve Édrica como o principal alvo.

A amiga, ferida na perna, foi levada a uma emergência e liberada. Mas Édrica, ferida com gravidade, precisou ser levada ao Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, em Ananindeua, onde faleceu quatro dias depois.

A família da vítima se mobilizou pelas redes sociais para obter informações do paradeiro de Edisandro e chegou a criar um perfil no Instagram intitulado “Justiça por Édrica”, onde centenas de seguidores compartilhavam todos os dias a foto do suspeito de feminicídio.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BELÉM

MAIS LIDAS EM BELÉM