Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Lixo é desafio cotidiano para quem mora em Belém

Prefeitura reforça coleta e serviços de saneamento na cidade

Eduardo Rocha

Não é preciso ser nenhum especialista em saúde para saber que a qualidade de vida tem uma relação direta com a limpeza dos espaços de uma cidade. No entanto, nas cidades brasileiras, a realidade foge desse princípio, a ponto de serem vistos, rotineiramente, pontos sediando lixo depositado de forma irregular. Belém não é exceção e se mostra repleta de problemas dessa natureza. Ainda nesta quinta-feira (19), em três corredores de tráfego da capital paraense, foi possível constatar depósito irregular de resíduos: nas avenidas Pedro Miranda e  Duque de Caxias, nos bairros da Pedreira e Marco. Mas, o problema é verificado em outros perímetros da cidade. A Prefeitura Municipal amplia mutirão de limpeza nos bairros e distritos.

Por volta das 15 horas, na calçada da avenida Pedro Miranda com a travessa Perebebuí havia um vaso sanitário entre outros itens acumulados no local, perto da Aldeia Cabana.  Edilene Lopes, 39 anos, moradora do perímetro há cerca de 12 anos, disse que a coleta de lixo precisa ser atualizada. “Na terça (17) e na quarta-feira (18), a coleta não passou por aqui”, declarou.

A moradora disse que a coleta de resíduos sólidos naquele trecho sempre se deu de forma regular. “Só há dois meses é que está falhando; às vezes, fica três dias sem ser feita”, observou. Outro morador da área, Luiz Favacho, reiterou a necessidade de coleta com maior regularidade. “A coleta é feita dia sim, dia não; antes era todo dia, fora o domingo”, destacou. Ainda nesta tarde, havia lixo acumulado na base de uma parte da arquibancada da Pedro Miranda.

Caixa d´água

Nada mais  nada menos que uma caixa d´água foi descartada no canteiro central da Pedro Miranda com a travessa Humaitá. Esse equipamento figurou como um item bizarro nesta via, chamando a atenção de moradores e transeuntes.

Não distante dali, uma das laterais do canal da travessa Antônio Baena com a Pedro Miranda servia de “lixão” a céu aberto para descarte de todo tipo de material. Catadores de lixo estavam no local.

Depósito irregular de lixo atinge área urbana de Belém (Foto: Márcio Nagano / O Liberal)

Na Duque

No espaço de retorno de veículos na avenida Duque de Caxias, entre a travessa Estrela e passagem São Benedito, havia lixo e entulho acumulado. “O pessoal da Prefeitura limpa, mas todo tempo tem lixo aí”, relatou um funcionário de loja naquele trecho, com depósito de plástico, toco de árvore, papelão e pedaços de madeira.

A poucos metros dali, na própria Duque de Caxias perto do Santuário de Fátima, ou seja, seguindo para a rua Antônio Barreto, há uma parte do canteiro central em que está uma árvore de bambu. Segundo um morador do local, que preferiu não se identificar, quando esta árvore é podada, folhas e galhos são deixados no espaço e há demora de cerca de 15 dias para a retirada desse material. E, então, de acordo com o morador,  passam a ser jogados no local entulho e lixo.

Limpeza

Para fazer frente aos pontos de depósito irregular de resíduos na cidade, a Prefeitura de Belém dá largada a uma segunda fase de ações de limpeza pública, como parte de um mutirão de serviços nesse sentido. Dessa forma, a Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan) vai atuar nos distritos administrativos da Sacramenta (Dasac), Bengui (Daben), Entroncamento (Daent), Icoaraci (Daico) e Outeiro (Daout).

Essas áreas da capital paraense irão receber serviços de limpeza urbana, como capinação, raspagem, roçagem, pintura de postes e do meio fio e ainda serão instalados neles pontos de coleta seletiva. Anúncio desse conjunto de ações foi feito pela titular da Sesan, secretária Ivanise Gasparim, ladeada pelo prefeito Edmilson Rodrigues na quarta-feira (18) em programação no bairro da Pedreira. O mutirão de limpeza começou na terça-feira (17).

Prefeitura amplia serviços de limpeza na cidade (Foto: Igor Mota / O Liberal)

De acordo com Paulo Setuba, conselheiro do Programa de Participação Popular da Prefeitura, o 'Tá Selado', no Distrito do Bengui, há pelo menos 16 anos, Belém sofre com a falta de serviços estruturais no saneamento básico. “Belém agora vai ser a capital da limpeza. E nós, cidadãos, precisamos também colaborar com a prefeitura”, acrescentou.

Reconstrução

A gestão municipal, como frisou o prefeito Edmilson Rodrigues,vai reconstruir as políticas de saneamento básico da cidade, por meio de licitações de serviços para a construção de um novo sistema de saneamento. “Este serviço (grande ação de limpeza) ainda não é definitivo. Isso será feito quando realizarmos a grande concorrência pública para que todo o sistema seja renovado", enfatizou o prefeito.

A secretária Ivanise Gasparim destacou que “o sistema atual, projetado em 2010, está obsoleto para atender às necessidades da cidade”.

A Sesan informa que há 2.200 agentes na limpeza pública de Belém, e mais 400 novos trabalhadores devem reforçar as equipes fixas, em vias com grande fluxo e concentração de pessoas durante a ação de limpeza anunciada.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BELÉM

MAIS LIDAS EM BELÉM