Família denuncia falta de neurologista para atender paciente no Hospital Ophir Loyola

O paciente faz tratamento no hospital há mais de um ano. Mas, nos últimos dias, a situação tem se agravado pela demora em receber atendimento de um médico especialista.

Pablo Costa

José Maria Moura da Silva, de 52 anos, faz tratamento de um tumor encefálico há mais de um ano e seis meses no Hospital Ophir Loyola, em Belém. Mas, nos últimos quinze dias, seu quadro de saúde vem se agravando devido o paciente sentir fortes dores na cabeça. Segundo a família, o homem é levado quase todos os dias para a urgência e emergência do hospital e volta para casa sem atendimento especializado. O hospital afirma que o homem recebeu todos os cuidados necessários e recomendados para o atendimento.

“Já faz mais de quinze dias que eu levo ele com dores fortes na cabeça e quando chega na emergência não tem um médico neurologista para avaliar a situação dele”, denuncia Lenne Barros, de 26 anos, filha de seu José.

Na manhã desta quarta-feira (11), José foi levado novamente para o hospital em busca de atendimento com um neurologista. “Ele está em uma cadeira de rodas na sala de urgência e emergência, desde às 10 horas da manhã, e ainda não foi atendido”, reforça Lenne. “Não é só o meu pai que está aqui nessa situação. Existem outras pessoas que também precisam ser atendidas pelo mesmo médico e estão nessa longa espera”, acrescentou.

Sem atendimento e vendo o estado de saúde de seu pai piorar cada vez mais, Lenne teme que o pior possa acontecer. “Meu pai não vai ser mais um na estatística de mortes nesse hospital. Eu moverei o que for preciso para que ele possa ser atendido como deve”, desabafou.

A redação integrada de O Liberal entrou em contato com o hospital para esclarecer o caso. Em nota, o Ophir Loyola nega a falta de médico neurologista na unidade. “A instituição é referência em neurocirurgia, logo possui equipe altamente especializada, para atender casos como o do paciente”, explicou.

A nota ainda informa que o paciente citado na matéria deu entrada na Unidade de Atendimento nesta quarta-feira (11), às 12h04, com sintomas de dor na cabeça. “O hospital esclarece que o paciente foi assistido pela médica do serviço, recebeu medicações analgésicas e foi solicitada a avaliação do especialista neurocirurgião”, afirmou a nota.

O hospital também esclarece que o paciente recebeu todos os cuidados necessários e recomendados para atendimento de urgência enquanto aguardava pela avaliação do especialista.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!