Falta de combustível pode ter causado queda de avião de pequeno porte no Bengui

Antes do acidente, piloto entrou em contato com torre de controle para abastecer em Val-de-Cans

Dilson Pimentel e Caio Oliveira

A queda de um avião monomotor no bairro do Bengui, em Belém, que resultou na morte do co-piloto e deixou outras duas pessoas feridas pode ter sido causado por falta de combustível na aeronave. O acidente aéreo foi registrado no final da manhã desta quarta-feira (13).

 

Leia mais:

 

Causa mais provável do acidente é pane seca

Segundo o coronel Jaime Oliveira, do Corpo de Bombeiros Militar, inicialmente havia a suspeita de uma pane hidráulica no avião de pequeno porte, mas as análises iniciais descartam essa possibilidade. O acidente, portanto, pode ter sido provocado pelo que se chama de "pane seca".

A aeronave deixou o Aeroporto de Belém Brigadeiro Protásio de Oliveira, no bairro da Sacramenta, e o piloto informou a torre de controle de tráfico sobre uma pane hidráulica e que queria pousar no Aeroporto Internacional de Belém Júlio Cezar Ribeiro, no bairro de Val-de-Cans, antes de sumir do radar e só aparecer novamente quando caiu no bairro do Benguí.

"A torre acionou o Grupamento Aéreo de Segurança Pública do Estado do Pará (Graesp) e a Infraero, mas a queda foi logo depois. Ele não tinha mais condições de pousar. Não caberia uma pane hidráulica, já que a única estrutura desse tipo na aeronave era o trem de pouso. Possivelmente, teve uma pane seca", disse o coronel.

 

Indícios apontam que piloto tentava pousar

Segundo o delegado de Polícia Civil, Augusto Damasceno, a hipótese de falta de combustível é a mais forte até o momento, embora a Força Aérea Brasileira e o Instituto Médico Legal do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves ainda analisem as circunstâncias do acidente aéreo.

"Em certo momento, o avião começou a voar baixo", relatou o delegado. "Tudo indica que ele (o piloto) procurava um local para descer e abastecer. No momento, aguardamos as perícias para abrir o inquérito que irá apurar as responsabilidades do acidente."

Vigilante estava na guarita atingida pelo avião monomotor. Piloto sobreviveu, mas copiloto não resistiu à queda e morreu na hora. (Igor Mota / O Liberal)

Segundo o Corpo de Bombeiros Militar, foram identificados três vítimas, sendo que duas estavam dentro da aeronave: Bruno Alencar Wachekoswski, 25, piloto que sobreviveu e foi encaminhado em estado grave ao Hospital Metropolitando de Urgência e Emergência, em Ananindeua, e Lucas Ernesto dos Santos, 24, copiloto da aeronave que não sobreviveu ao choque e morreu na hora.

O nome do vigilante não foi confirmado, embora tenha sofrido apenas escoriações sem gravidade.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!