Ato reúne centenas de pessoas no Mercado de São Brás

Homens, mulheres e crianças comemoram a liberdade do ex-presidente Lula

Redação Integrada

Homens, mulheres e crianças comemoram a liberdade do ex-presidente Lula, na praça do Mercado de São Brás, em Belém, nesta sexta-feira (08). A manifestação mobilizada pelas redes sociais reuniu trabalhadores comuns e representantes de centrais sindicais, partidos políticos e organizações sociais, entre outras entidades. O ato começou por volta das 19h30, e próximo das 20h, cerca de 300 pessoas se concentravam na praça. A expectativa dos organizadores era de que na medida que a noite avançasse maior seria a adesão. Não houve registros de ocorrências policiais. 

"A libertação de Lula representa a esperança para mim. Esperança na democracia, na luta dos trabalhadores", disse a servidora pública, Hérika Pereira, com a filha, Helena, de 5 anos de idade. Para o presidente da CTB, Kleber Rezende, esta sexta-feira foi um dia histórico para o País e para a consolidação do estado de direito democrático.

"O povo está indo para rua hoje no Brasil porque nesse último período estamos vendo ataques à Constituição Federal, um marco na história jurídica do país. A Constituição de 1988 e sua concepção cidadã é uma conquista do povo brasileiro e ela vem sendo rasgada desde o golpe jurídico de 2016, que resultou no impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff", afirmou o titular da CTB.

Do alto de um trio elétrico, com uso de microfone, manifestantes se revezavam em depoimentos com duras críticas ao cenário político nacional.  "O Lula é um símbolo do povo brasileiros, da classe trabalhadora, uma liderança internacional. Ele representa bem o sentimento da força do povo. Quando um retirante nordestino, metalúrgico, operário chega á presidência do país, e consegue aprovar programas sociais importantes, elevar o salário mínimo em mais de 73% de ganho real, isso dá uma enorme esperança para o povo. E nesse momento nós, o povo, de novo, com ele livre, temos nova perspectiva'', disse o sindicalista Kleber Rezende.

Para a professora da rede pública estadual, Ádma Monteiro, a certeza da inocência do ex-presidente a fez ir à praça comemorar à liberdade dele. "Ele foi condenado sem provas, sem ter cometido crime algum e ficou preso ainda que a ação dele não tivesse esgotado todos os recursos. Hoje, a liberdade do Lula, não é uma vitória individual. É uma vitória coletiva. Estou feliz de estar aqui comemorando isso", disse.    

Participaram lideranças e filiados da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Frente Brasil Popular, Frente Povo Sem Medo, União da Juventude Socialista (UJS), União Nacional dos Estudantes (UNE), e ainda um conjunto de sindicatos de trabalhadores, e de partidos políticos como PT, PCdoB, Sindicato dos Bancários, entre outros partidos políticos. Não houve registros de ocorrências policiais.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM BELÉM