Summit Amazônia Produtiva

Summit Amazônia Produtiva debate sustentabilidade e economia criativa em fevereiro e abril

Ciclo de palestras mostra os caminhos para o desenvolvimento sustentável da Amazônia e leva ao público cases de sucesso no mercado que mais oportunizou os brasileiros após a crise

Informe Publicitário

Depois do sucesso da primeira edição, o Grupo Liberal prepara mais dois ciclos de palestras dentro da programação do Summit Amazônia Produtiva, patrocinado pela Vale.

Summit Amazônia Produtiva (Geral)

O próximo evento está confirmado para fevereiro e vai debater a sustentabilidade retratada em boas práticas para o desenvolvimento. Enquanto que, em abril, o circuito vai falar sobre economia criativa, um dos setores que mais atraíram empreendedores no Brasil desde a crise de 2014.  

“Não há como falar em crescimento, desenvolvimento socioeconômico sem atrelar à sustentabilidade. Os olhos do mundo estão voltados para a Amazônia e boas práticas nos mostram que é, sim, possível gerar desenvolvimento com responsabilidade socioambiental” — Rodrigo Vieira, diretor de marketing do Grupo Liberal

Dentro deste cenário, o evento vai identificar e mostrar soluções inovadoras lideradas por agentes públicos e privados. 

A história de ocupação econômica da Amazônia, a qual o território experimentou vários modelos de desenvolvimento, alguns divergentes do que é considerado ideal pelos especialistas, bem como as formas de recuperação e novas aplicações para manutenção e exploração sustentável da floresta, estarão em debates com um time de especialistas renomados dentro e fora do Brasil. “Estamos preparando algo especial”, completa Vieira. 

Economia Criativa

Já em abril, o Summit vai entrar no universo da economia criativa, um dos segmentos mais utilizados pelos brasileiros para driblar a crise que deixou milhares de profissionais desempregados no país. Mais que uma alternativa, este mercado se tornou prioridade e foi capaz de transformar homens e mulheres em empreendedores de negócios relacionados à moda, cultura, artesanato, design, entre outros. 

“O Brasil é um dos maiores mercados para a economia criativa. Dados do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) apontam que, até 2021, a estimativa de crescimento desse segmento será acima da média mundial, por volta de 4,6%. Então, buscamos unir as duas pontas e fomentar essa discussão para despertar ainda mais o público que almeja entrar nesse nicho de atuação”, disse Rodrigo Vieira. 

Vieira lembrou ainda que uma das missões do Grupo Liberal é justamente contribuir, com informações e diálogos, para que a sociedade desperte para assuntos de interesse público capazes de modificar e encorajar pessoas em busca de sonhos.

“A economia criativa é movida por ideias. Como grupo de comunicação, uma de nossas maiores contribuições para a sociedade é justamente estimular o diálogo, o conhecimento e a formação de senso crítico”, concluiu o diretor.

Summit
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

NOTÍCIAS RELACIONADAS