Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

TSE nega registro de candidatura de Pablo Marçal (PROS), que vai recorrer

Na corrida à Presidência, Marçal se diz vítima de perseguição política e afirma que não desistirá da candidatura. Ministros votaram pela validade da coligação do PROS com o PT

O Liberal

O candidato à Presidência da República Pablo Marçal (PROS) afirma que vai recorrer da decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que decidiu validar a coligação do PROS com o PT e, consequentemente, rejeitou o pedido de candidatura do coach, influenciador e empresário. “O candidato utilizará todos os remédios judiciais cabíveis com vistas à manutenção do seu direito de concorrer”, diz nota divulgada por sua equipe.

No julgamento da última terça-feira (6), os ministros do TSE acompanharam o entendimento do relator do processo, Alexandre de Moraes, e consideraram válida a decisão da direção nacional do Pros que retirou a candidatura de Marçal em prol ao apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já no 1º turno. A decisão foi tomada apesar do parecer favorável à candidatura de Pablo Marçal apresentado pela Procuradoria-Geral Eleitoral (PGE), na semana passada.

VEJA MAIS

Reveja as entrevistas exclusivas dos candidatos à presidência para O Liberal; vídeo
Dia 16 de agosto marca a abertura oficial do período eleitoral. Ao Grupo Liberal, Jair Bolsonaro (PL), Lula (PT), Simone Tebet (MDB), Ciro Gomes (PDT), Luiz Felipe d’Avila (Novo), André Janones (Avante), Pablo Marçal (Pros) e Vera Lúcia (PSTU) falaram com exclusividade

Pré-candidato pelo PROS, Pablo Marçal é entrevistado pelo Grupo Liberal
O empresário, investidor e escritor vai falar sobre seus projetos para o Brasil

Desde o início da campanha, a candidatura de Marçal esteve ameaçada em razão do embate jurídico envolvendo o comando do Pros. No início de agosto, uma ala da legenda que defende o apoio ao ex-presidente Lula no 1º turno das eleições retomou o controle do partido e revogou a candidatura de Pablo Marçal.

No entanto, a ala do partido pró-Marçal questionou a decisão do Diretório Nacional e resolveu manter a candidatura. O influenciador afirma ser vítima de perseguição política, e que não desistiria de concorrer.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA