Lula critica punição maior à vítima do que ao estuprador: ‘insanidade’

Presidente disse ser contrário ao aborto e que é preciso tratá-lo como ‘questão de saúde pública’

O Liberal
fonte

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se posicionou, neste sábado (15/6), sobre o Projeto de Lei nº 1.904/24 que equipara o aborto ao crime de homicídio. Lula considera uma “insanidade” punir a vítima com pena maior que a do criminoso.

image Deputados aprovam urgência para projeto que equipara aborto realizado após 22 semanas a homicídio
Votação aconteceu de modo simbólico e sem que o nome do projeto fosse citado pelo presidente da Câmara

image Pena maior para mulher que aborta do que para estuprador? Entenda PL discutido na Câmara
Projeto teve requerimento de urgência aprovado pela Câmara dos Deputados

Esta é a primeira declaração do presidente sobre o assunto desde a aprovação do PL do Aborto, na última quarta-feira (12/06), pela Câmara dos Deputados, quando foi encaminhado, com urgência, o texto que equipara o aborto em fetos com mais de 22 semanas ao crime de homicídio simples.

“Sinceramente, à distância, não acompanhei o debate muito intenso no Brasil. Quando eu voltar, tomarei ciência disso. Tenho certeza que o que a gente tem na lei já garante que a gente aja de forma civilizada [nesses casos], para tratar com rigor o estuprador e para tratar com respeito à vítima. É isso que precisa ser feito”, acrescentou.

“Quando alguém apresenta uma proposta que a vítima tem que ser punida com mais rigor do que estuprador, ela não é séria. Sinceramente, não é séria”, criticou.

A fala de Lula a jornalistas foi feita após o encerramento de seus compromissos na Itália, onde participou da reunião do G7: grupo que reúne as maiores economias do mundo: Estados Unidos (EUA), Canadá, Reino Unido, França, Alemanha, Itália e Japão.

O presidente brasileiro também esteve na conferência da Organização Internacional do Trabalho (OIT), realizada na Suíça.

Entre no nosso grupo de notícias no WhatsApp e Telegram 📱
Política
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA