Helder Barbalho quer contratar mais 6 mil profissionais para a segurança pública

Governador observou que 7 mil novos profissionais foram chamados pela atual gestão e afirma que pretende, caso seja reeleito, ampliar ainda mais esse número

O Liberal

O governador do Pará e candidato à reeleição, Helder Barbalho (MDB) afirmou que pretende ampliar em mais 6 mil o número de profissionais na área de segurança pública, caso vença nas urnas. A declaração foi dada na manhã desta quinta-feira (29), em entrevista ao Grupo Liberal.

Helder destaca que essa área foi tratada com prioridade desde o início da atual gestão e relata que quando assumiu o mandato, “o que tinha era um cenário de descontrole, onde as facções criminosas tomavam conta das ruas e presídios”, afirma. “Era desenhado como se fosse um problema nacional e que o paraense tinha que conviver com esse problema”, completou.

O governador lembrou o seu primeiro ato à frente do Executivo, quando pediu apoio da Força Nacional de Segurança. “A partir daí, nós conseguimos empreender ações ostensivas que permitiram que a força policial, os órgãos de segurança, pudessem melhorar o ambiente”, declarou. “Tenho clareza de quanto melhorou”, enfatiza Helder.

O candidato ainda destacou números de pesquisas nacionais que mostram que o estado reduziu crimes violentos em 48%. Para isso, além das melhorias na polícias Militar e Civil e das parcerias com outros órgãos de segurança, ele destacou a criação da Polícia Penal. Helder conta que logo que assumiu chegou a visitar os presídios e encontrou placa de preço de itens de comercialização, inclusive de churrasco e cerveja.

VEJA MAIS

Candidato à reeleição, Helder Barbalho diz que vai entregar 11 hospitais no segundo mandato
Entre as obras estão o primeiro hospital público direcionado apenas ao público feminino e o novo Pronto Socorro de Belém

Helder Barbalho é entrevistado hoje pelo Grupo Liberal
Candidato concorre à reeleição para o governo estadual 

“Que bagunça é essa? que conversa é essa? O presídio é local de ressocialização onde o Estado tem que cumprir a ordem do que diz a justiça. Agora, era só o que faltava, o cara comete um crime, comete um assassinato e vai pra dentro do presídio pra ficar comendo churrasco sob o olhar do estado, sob a proteção do estado e o estado ainda banca ele, porque ele custa mais que um aluno para sustentar. Agora quem toma conta do presídio é o estado, quem toma conta o do presídio são os órgãos de segurança”, afirma.

Além da criação da Polícia Penal, Helder destacou a criação da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária e o incremento de 30% no número de vagas nos presídios. “E imprimimos algo que talvez seja o mais importante: procedimentos e protocolos, que não existiam. Uma família pra entrar, tem que ser vistoriada. Não existia isso”.

Helder Barbalho também destacou a ampliação do efetivo. “Esta semana mesmo nós incrementamos em 2.772 novos policiais, que é o maior concurso da história da Polícia Militar”.

O governador falou ainda sobre o investimento em armamento e a implantação da base fluvial de Breves. Caso eleito, ele pretende implantar uma base fluvial também em Óbidos, outra próximo a Abaetetuba e uma perto de Itaituba. “Então, cercando tanto a cidade quanto os rios para que com isso nós possamos avançar”.

O candidato citou ainda a contratação de 7 mil novos profissionais de segurança pública durante o seu governo. “E tendo oportunidade de um segundo mandato, vamos ampliar em mais 6 mil novos profissionais de segurança, iremos avançar em mais 40 novos quarteis da Polícia Militar”, afirma.

Ele também pretende garantir uma atuação contra feminicídio e crime de gênero. Helder citou a ampliação da Delegacia da Mulher em Icoaraci, mas afirma que o objetivo é aumentar em mais 10 novas unidades como essa pelo estado.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA