Família boliviana é assassinada por brasileiros após flagrar estupro

Pai de família teve a esposa e dois filhos assassinados a sangue frio enquanto buscava ajuda policial para prender homem que violentara a filha, de 14 anos

Com informações do Portal G1

Uma família boliviana foi vítima de um crime bárbaro cometido por três brasileiros no último domingo (13), na localidade conhecida como Ramal do Pelé, próximo das cidades de Acrelândia e Plácido de Castro, região de fronteira com a Bolívia. Uma mulher e duas crianças foram executados a sangue frio. O esposo e a filha mais velha escaparam por sorte. 

O crime aconteceu após o pai boliviano ter flagrado a filha de 14 anos sendo estuprada por um brasileiro que trabalhava em sua propriedade. Ele conseguiu apanhar e amarrar o estuprador a um tronco de árvore, enquanto tentava chegar até o lado brasileiro para chamar a polícia. Mas um parente do abusador percebeu a situação e, aproveitando-se da ausência do dono da áres, chamou outros familiares para resgatá-lo. 

Depois de desamarrar o estuprador eles atiraram na esposa do boliviano e nos três filhos do casal, incluindo a jovem vítima de abuso. A mãe e as duas crianças morreram na hora. Supondo que a garota também estivesse morta, o trio empilhou os 4 corpos próximos a uma árvore e incendiou a casa onde viviam. Antes de ir embora, ainda roubaram cerca de R$ 10 mil e mais uma quantidade de dinheiro boliviano que a família guardava.

Horas depois, os três homens retornaram à propriedade para tentar localizar o pai e também matá-lo, mas ele havia saído novamente para levar a filha ao hospital após perceber que a menina ainda estava viva. “Jogaram a garota lá junto ao corpo da mãe e dos outros dois irmãos, pensando que ela estava morta. Antes da gente chegar, eles já tinham ido lá novamente em quatro motos na tentativa de encontrar o pai da menina para também matá-lo, mas ele tinha saído para Acrelândia para socorrer a garota”, contou um policial.

Segundo a PM, dois dos criminosos são da mesma família, residente em Acrelândia, e trabalhavam com a retirada de madeira na propriedade do boliviano. Foi um deles o autor do estupro. O outro foi o responsável por convocar os familiares e executar a chacina. 

No mesmo dia do crime, outros dois envolvidos nos assassinatos foram presos em flagrante na zona rural de Acrelândia. No entanto, o responsável por cometer o estupro continua foragido. A jovem está internada no Pronto Socorro de Rio Branco, em estado grave, mas estável. A Polícia Civil do Acre não divulgou nenhum dos nomes dos envolvidos.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!