Ex-senador Romero Jucá é alvo de operação da PF que apura fraudes em convênios de prefeituras

Ao todo, Operação Imhotep cumpre 22 mandados de busca e apreensão. Policiais estiveram no escritório e casa de Jucá

O Liberal
fonte

O ex-senador Romero Jucá (MDB) é um dos alvos da operação deflagrada na manhã desta quarta-feira (23), pela Polícia Federal, para apurar supostas fraudes em convênios de prefeituras de Roraima com o Governo Federal. As investigações conduzidas pela PF e Controladoria Geral da União (CGU) apontam que três empresas de engenharia são suspeitas de pagar propinas em contratos que seriam distribuídas a Jucá e a servidores públicos que auxiliariam na prática dos crimes. Ao menos R$ 15 milhões teriam sido foram pagos em propina. As informações são do G1 Roraima.

Denominada de Imhotep, a operação da PF cumpre 22 mandados de busca e apreensão. Agentes federais estiveram no prédio onde funcionam uma produtora e o escritório de Jucá no bairro Canarinho, zona Norte de Boa Vista, e também na casa dele, no bairro Paraviana, área nobre da cidade.

Estão sendo investigados crimes de fraude em licitação, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A soma das penas para estes crimes podem ultrapassar 35 anos de reclusão.

VEJA MAIS

image Polícia Federal prende 140 pessoas nos 26 estados e DF em operação de combate à pedofilia
A operação "Guardiões da Infância" cumpriu pelo menos 54 mandados de prisão no Brasil, nesta terça (22), que totalizam a quantidade de pessoas presas por crimes ligados ao abuso sexual de crianças e adolescentes

image PF faz operação contra fraude de registros para compra de armas no Pará
Durante a ação, foram cumpridos três mandados de busca e apreensão e um mandado de medida cautelar diversa da prisão, que consiste na suspensão de atividade econômica

image PF faz operação contra esquema de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo a FGV
As equipes saíram para cumprir 29 mandados de busca e apreensão em São Paulo e no Rio de Janeiro

Os nomes dos demais investigadores, que seriam pessoas ligadas ao ex-senador, não foram informados.

Indícios apurados pela PF apontam para a existência de uma organização criminosa suspeita de fraudar a celebração de convênios com prefeituras em Roraima entre os anos de 2012 e 2017, em especial com o município de Boa Vista – período que coincide com a gestão da ex-prefeita Teresa Surita - braço direito de Jucá em Roraima e que governou a capital de 2013 a 2020.

Romero Jucá foi senador durante 24 anos por Roraima, mas deixou o cargo após não se reeleger em 2018, depois de três mandatos consecutivos. Ele tentou novamente voltar para o cargo nas eleições de outubro deste ano, mas sofreu nova derrota.

No tempo em que esteve no Senado, foi líder do governo federal na casa nas gestões dos presidentes Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff e Michel Temer.

Política
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA