logo jornal amazonia

Um indígena é morto e três ficam feridos após ataque a tiros no Pará

Moradores registraram o momento exato da sequência de tiros disparados contra o carro das vítimas

O Liberal

Quatro integrantes da comunidade indígena Turiwara foram alvo de um ataque a tiros, na tarde deste sábado (24), entre os municípios de Tomé-Açu e Acará, no nordeste paraense. Um indígena morreu e três ficaram feridos, informou a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup). As vítimas estavam dentro de um carro, quando foram atacadas. O veículo estava estacionado.

Moradores registraram o momento exato da sequência de tiros disparados contra o carro das vítimas. Conforme as imagens, um veículo vermelho passa. De dentro dele, os ocupantes atiram​​ várias vezes contra os indígenas e fogem.

Numa outra gravação, duas vítimas aparecem feridas ainda dentro do carro, enquanto aguardam ajuda. Em seguida, moradores da área prestam os primeiros socorros aos indígenas atingidos. Policiais civis e militares também aparecem nas imagens prestando ajuda às vítimas.

Por meio de nota, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup) informou que “equipes das polícias civil e militar da região já iniciaram os procedimentos necessários para apurar o atentado ocorrido na tarde deste sábado, 24, no município de Acará”. Segundo a secretaria, durante a manhã, as equipes foram informadas de que um veículo, onde estavam quatro pessoas, havia sido atingido por disparo de arma de fogo.

Três delas ficaram feridas, foram socorridas e levadas ao hospital de Acará, uma morreu. A Segup destaca também que equipes especializadas da Polícia Militar e da Polícia Civil já estão na região, para reforçar as ações de segurança e atuar, de forma prioritária, nas investigações do fato”, garantiu a Segup.

Ameaças

Presidente da Associação Indígena Tembé de Tomé-Açu (AITT), Parenté Tembé usou as redes sociais para denunciar os ataques e ameaças, que são constantes, segundo ele. “Há anos a gente vem denunciando os ataques que a gente vem sofrendo. Hoje, as pessoas que foram baleadas são exatamente as pessoas que estavam sendo ameaçadas de morte, assim como eu também sou ameaçado. Eu não sei o que falar, não sei mais como me expressar nesse momento de tanta tensão, revolta e indignação”, desabafou.

MPF

O Ministério Público Federal (MPF) se posicionou após o ocorrido. Disse que “a instituição vai apurar as circunstâncias em que ocorreu o episódio divulgado nas redes sociais e na imprensa como um ataque de pistoleiros que deixou três indígenas feridos e um morto neste sábado (24), na região do limite dos municípios de Acará e Tomé-Açu, no nordeste do Pará”.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA