Polícia Civil cumpre 12 mandados de busca e apreensão na operação Quimera, em Belém

Ela apura possível fraude na compra de respiradores pulmonares. Inicialmente, foram desviados R$ 750 mil do Fundo Municipal de Saúde

Cleide Magalhães

A Polícia Civil do Pará deflagrou a operação Quimera, nesta sexta-feira (9), para dar cumprimento a 12 mandados de busca e apreensão de pessoas físicas e jurídicas acusadas de envolvimento em suposta fraude na compra de respiradores pulmonares da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), em Belém, capital do Pará. De acordo com as investigações, que começou em agosto deste ano, inicialmente, a fraude envolve recursos de cerca de R$ 750 mil do Fundo Municipal de Saúde.

Segundo o delegado geral da Polícia Civil, Walter Resende, as denúncias sobre a suposta fraude chegaram à Delegacia de Combate à Corrupção da Polícia Civil, em agosto deste ano, e, até setembro, foram realizadas diligências.

“No decorrer das investigações, percebemos situações conflitantes em relação à empresa, que, inicialmente, vendia lanches e foi se transformando em um conglomerado. Atualmente, ela trabalhava em 35 atividades econômicas. Quer dizer, um leque muito grande para qualquer tipo de atividade que tivesse licitação e, preferencialmente, aquelas licitações que não tivessem concorrência pública”, afirma Resende.

Assim, diante da posse de elementos e indícios de provas encaminhadas pela Polícia Civil ao Poder Judiciário, para medidas cautelares e solicitação de elementos nos autos, 12 mandados foram deferidos pelo Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA), no último dia 8.

Delegado-geral da Polícia Civil, Walter Resende, afirma que tudo será analisado e periciado com cautela. Foto: Ascom Polícia Civil

“A possível fraude envolve recursos iniciais de R$ 750 mil, do Fundo Municipal de Saúde, que seriam usados na compra de respiradores pulmonares (mas ainda não podemos manifestar quantos aparelhos foram comprados). Mas, certamente, eles deveriam ser usados em benefício da população carente, que nesse tempo de pandemia passa por sérias dificuldades. Então, a operação desta quinta deu cumprimento aos mandatos”, explica o delegado geral.

A operação, que contou com 70 policiais, esteve em seis locais, onde foram apreendidos documentos, trocas de contratos, aparelhos celulares e elementos de informática.

“Tudo será periciado e analisado, com cautela, para que a Polícia Civil possa juntar a todo complexo probatório, que ainda está em tramitação na nossa delegacia. Valem ainda para nos ajudar a definir as responsabilidades individualizando a conduta dos acusados em futura ação penal junto ao Poder Judiciário”, explica Walter Resende.

Os locais em que os policiais estiveram foram na casa do secretário de Saúde de Belém, Sérgio Amorim, em São Brás; na moradia Genny Misora Yamada, no Parque Verde; na GM Serviços, Comércio e Representação Eireli, nome fantasia MY02 Soluções em Saúde; na sede da Sesma; na Central Municipal de Registro de Empresas da Secretaria de Finanças (Sefin) do Município de Belém e na Coordenadoria Geral de Licitações, ambos da Prefeitura de Belém.

“Na casa do secretário Sérgio Amorim, onde ele estava no momento, fizemos apreensão de alguns documentos e valor financeiro de R$ 10 mil. Não houve resistência em nenhum dos locais dos 12 alvos deferidos pela Justiça. O resultado das diligências serão encaminhadas ao Poder Judiciário”, afirma o delegado geral.

Se as fraudes procederem, os acusados devem responder pelos crimes contra a administração pública, como falsificação de documentos, corrupção ativa e passiva, fraude de licitação, enfim, elenco grande de delitos ainda investigados pela Polícia Civil.

O nome da operação Quimera refere-se a uma figura mística caracterizada por uma aparência híbrida de dois ou mais animais e a capacidade de lançar fogo pelas narinas, sendo portanto, uma fera ou besta mitológica. 

A Redação Integrada entrou em contato com a Sesma e aguarda posicionamento do órgão. A reportagem tentou contato com os demais acusados, mas não conseguiu. O prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, convocou uma coletiva de imprensa para a tarde desta sexta-feira, às 16h30, onde vai tratar do assunto. 

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA