Mulher é morta a facadas pelo ex-companheiro

Vítima caminhava pela rua com sua filha no colo quando foi atacada

Redação Integrada

Uma mulher foi assassinada a facadas pelo ex-companheiro em Paragominas, na manhã desta segunda-feira (03), em mais um caso de feminicídio no Estado. Maria de Fátima Gomes, de 32 anos, foi morta com sua filha, uma bebê de pouco mais de um ano, ainda em seu colo. O autor do crime, Nilton dos Santos da Silva, de 42 anos, foi detido logo em seguida pela Polícia Militar, preso em flagrante pelo assassinado.

O crime foi por volta das 8h na rua Joana D'arc, no bairro Jardim Atlântico, quando a mulher saiu de casa pela manhã para ir tomar café na casa de uma vizinha. Quando caminhava com a filha nos braços, já na frente da casa da amiga, Maria de Fátima foi surpreendida por Nilton, com quem ela manteve um relacionamento por cerca de um ano até se separarem. Ela foi atacada pelo homem e foi atingida no peito por uma facada, caindo no chão.

Segundo informações de populares, bombeiros do 1º Grupamento de Proteção Ambiental (1° GPA) foram ao local para socorrer a mulher, mas quando chegaram, Maria de Fátima já estava morta. O corpo foi removido por uma equipe do Núcleo Avançado do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e levado ao prédio da unidade. 

De acordo com o 19º Batalhão de Polícia Militar (BPM), policiais do Grupo Tático Operacional (GTO) chegaram ao local e, com base nas descrição do suspeito, conseguiram prender Nilton Santo em uma casa, em bairro ali perto, minutos depois do crime. O homem foi levado para a delegacia de Polícia Civil para os procedimentos cabíveis.

 

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA