Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

MP denuncia homem à Justiça por feminicídio praticado em Ananindeua

O acusado teria dado um soco na vítima que dias após morreu por insuficiência respiratória aguda 

O Liberal

O Ministério Público do Pará (MPPA), por meio da Promotoria de Justiça da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, ofereceu, nesta quarta-feira (6), denúncia contra um homem pelo crime de feminicídio, em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém (RMB). Ele deu um soco no rosto da companheira dele, que passou a apresentar dificuldades para se alimentar e respirar e morreu dias após a agressão. Com informações do Ministério Público do Pará.  

De acordo com o MP, a mãe da vítima informou, em depoimento, que o casal teve outras discussões que resultaram em abuso físico sofrido pela jovem. A agressão que teria provocado a morte da vítima, ocorreu, segundo testemunhas, no dia 19 de setembro de 2021.

VEJA MAIS

Casos de feminicídio sobem na Grande Belém desde o início do ano Segup informou que de janeiro a outubro foram computadas nove ocorrências de feminicídio em Belém, e no mesmo período de 2020, foram três ocorrências

Homem é preso por matar namorada e dormir com o cadáver da vítima por uma semana O homem suspeito de matar a mulher teria praticado o crime para se vingar de uma traição

Mulher torturada por três dias pelo companheiro acaba morrendo Ela conseguiu sair do cárcere e denunciar agressor, mas não resistiu aos ferimentos

O suspeito deu um soco na vítima, que a derrubou no chão. A partir de então, a mulher passou a se sentir mal e a apresentar inchaços na bochecha, pescoço e nuca. Ela também apresentava dificuldades para se alimentar e respirar.

A mãe a levou à Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Em seguida, ela foi encaminhada para internação no Pronto Socorro, mas ela não resistiu, morreu e a causa da morte declarada foi “insuficiência respiratória aguda, abscesso da boca, abscesso retro faríngeo”.

O homem nega a agressão à vítima. Ele afirma que não aplicou o soco mencionado pelos testemunhos, mas, diante dos fatos e depoimentos apresentados, o MPPA entendeu que há dados suficientes para solicitar a prisão preventiva dele.

O Ministério Público também requereu toda a documentação de antecedentes criminais expedida pela Segurança Pública do Pará (Segup), nas Varas Criminal e da Infância e Juventude. 

Também foi pedido o prontuário médico e o exame de necropsia da vítima, junto com o testemunho do médico que atestou o óbito. O MP apresentará os documentos e provas colhidas na audiência para julgamento do caso, que ainda será agendada.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA