Menina de 11 anos era estuprada pelo pai desde os nove anos em Tucuruí

Criança era a única filha do homem e foi salva dos abusos pela madrasta, que foi quem denunciou o caso

Redação Integrada

Ivamar Ferreira Lima foi preso na tarde desta terça-feira (10) pelo crime de estupro de vulnerável, praticado contra sua única filha, uma menina de apenas 11 anos. Ele foi detido em sua casa, no conjunto da Cohab, em uma operação da Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente (Deaca), vinculada à Superintendência Regional do Lago de Tucuruí, no sudeste paraense. A menina só foi salva dos abusos do pai por causa da madrasta, que viu as marcas da violência e decidiu indagar a criança.

O homem foi detido em cumprimento a um mandado de prisão preventiva, por volta de 14h. A investigação criminal foi iniciada na Deaca de Tucuruí no dia 09 de dezembro, quando a madrasta da criança, ao perceber uma marca de “chupada” no pescoço da menina, conseguiu fazer com que a enteada falasse sobre a violência sexual. A criança relatou, em escuta especializada da delegacia, que no dia 06 de dezembro, ela havia sido abusada sexualmente pelo pai. O abuso não era novidade: a menina era violentada constantemente desde os nove anos de idade.

Segundo o relato da criança, os ataques ocorriam frequentemente, de quarta-feira a domingo, quando a madrasta se ausentava para trabalhar. Com base em todas essas evidências, que consideraram os exames, o relato da madrasta e o depoimento da criança, a Polícia Civil representou pela medida protetiva em favor da vítima, assim como representou um pedido de prisão preventiva do acusado. Com o deferimento de ambos os pedidos, os policiais da Deaca cumpriram a prisão, e Ivamar se encontra à disposição da Justiça.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA