Megaloja que causou tumulto e aglomeração na abertura em Belém já reabriu as portas

No último sábado (10), o estabelecimento foi autuado por crime contra a saúde pública

Redação Integrada

A megaloja que acabou fechada no último sábado (10), após tumultos e aglomerações promovidos numa programação de inauguração, voltou a abrir as portas em Belém nesta segunda-feira (12). A reabertura ocorre dois dias após os responsáveis serem chamados para prestar esclarecimentos à polícia sobre o ocorrido e o estabelecimento ser autuado por crime contra a saúde pública por ferir várias regras e protocolos estabelecidos para o controle da pandemia da covid-19 no Pará.

LEIA MAIS:
- Loja que teve tumulto em inauguração é fechada e responde por crime contra saúde pública
- Após polêmica em inauguração de loja, Luciano Hang responde ao governador Helder Barbalho

- Prefeitura diz que tumulto em loja é 'evento privado' e que contenção deveria ser feita pela empresa
- Sespa desloca equipe do Círio para fiscalizar tumulto em loja
- VÍDEO: Inauguração de loja em Belém causa grande aglomeração

Nesta segunda-feira, o movimento na loja é tranquilo. Poucos consumidores foram à loja, e visitantes e funcionários estavam de máscaras, mas uma pequena fila ainda se mantém à porta. Na fila, o distanciamento estava sendo respeitado e havia medição da temperatura dos clientes à porta de entrada.

Crime contra saúde pública


O governo do Estado já havia confirmado, em nota publicada sábado (10) pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), que a loja de departamentos foi notificada pelo não cumprimento das regras de distanciamento social previstas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). "O gerente foi conduzido para prestar esclarecimentos, na Seccional da Marambaia, pelo não cumprimento das regras previstas pela OMS", disse o governo do Estado sobre o fechamento do estabelecimento. Reveja a situação:

A Polícia Civil do Pará informou que o representante do estabelecimento foi intimado para prestar esclarecimentos e autuado por crime contra a saúde pública, de acordo com o artigo 268 do Código Penal Brasileiro, cuja pena varia entre um mês e um ano de detenção, além de multa.

Polícia diz que vai agir se loja voltar a quebrar regras


Na noite deste domingo de Círio (11), a Polícia Civil do Pará informou, em nova nota, que já tomou todas as providências cabíveis em relação ao caso e que só deve adotar novas medidas "se houver persistência no descumprimento das regras sanitárias conforme previsto na lei".

Segundo disse a Polícia Civil, na manhã deste domingo (11) equipes da Polícia Militar e da Vigilância Sanitária da Sespa retornaram ao estabelecimento para avaliar a situação. "Constataram que as medidas de saúde estavam sendo cumpridas. O local que tem capacidade para 1.500 pessoas só poderá receber apenas 700 clientes, de acordo com o estabelecido pelo Decreto Estadual".

Empresário pediu 'desculpas' 


Procurada pela redação integrada de O Liberal desde o sábado, a empresa dona da rede nacional de lojas não respondeu à reportagem.

No entanto, em postagem feita na redes sociais no próprio sábado, o empresário Luciano Hang, dono da rede, respondeu diretamente ao governador do Estado, Helder Barbalho, sobre o fechamento da loja após a inauguração em Belém.

Hang respondeu diretamente postagem de Helder (via redes sociais)

Hang pediu desculpas ao governador e chamou a aglomeração causada pela festa de inauguração de "carinho". Veja a postagem original:

 

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA