Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Mãe denuncia professor de karatê que teria dado soco na barriga de sua filha de 9 anos

O caso aconteceu em Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba

Gabriel Mansur

Um professor de Karatê é acusado de agredir uma criança de nove anos durante uma aula no Colégio Estadual Liria Micheleto Nichele, em Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba, Paraná. A mãe da criança, Bianca de Oliveira, realizou a denúncia. O professor teria dado socos na barriga da criança como forma de punição.

VEJA MAIS

Mulher frentista espanca assediador que tocou na sua coxa em posto de gasolina; vídeo
Funcionária tomava café quando o homem se aproximou e tocou o seu corpo

Bebê de um ano morre após subir em rack e televisão cair em cima dela
A criança estaria brincando em um quarto quando subiu no rack, que tinha uma tevê em cima, o móvel inclinou e caiu em cima da menina

Bianca, em entrevista ao portal Banda B, conta que a filha entrou em casa triste, e disse que não queria mais fazer karatê porque o professor havia batido nela.

“Ele bateu nela como punição por ela não ter se comportado bem. Ela falou isso e eu entrei em choque, fiquei sem acreditar”, relatou a mãe.

A mãe então mandou mensagens para o professor, que confirmou as agressões e justificou como sendo “alguns socos bem fracos, pois ela deu um tapa na cara da colega dela e os óculos da colega caíram”. 

Bianca explica que a criança estava brincando com o amigo e sem querer o atingiu. O professor teria anotado o nome dela e de outras crianças em um caderno, “para levarem uma punição no final da aula que seriam os socos. Ele formou a fila de alunos e enquanto ele ia socando falava as disciplinas de comportamento dentro do karatê”, explicou a mãe para o portal Banda B. As câmeras de segurança do colégio teriam registrado o momento, explicou a mãe, que registrou um boletim de ocorrência.

Instituições se pronunciam

A Secretaria Estadual de Educação do Estado do Paraná afirmou em nota que a escola apenas cedeu o espaço para as aulas que são ofertadas pela associação de moradores, mas que no momento, as atividades serão cessadas até a resolução do caso. A Polícia Civil do estado do Paraná declarou que um inquérito foi instaurado para investigar o caso e que aguarda laudos complementares e imagens que auxiliarão no andamento da investigação.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA