Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Ladrões invadem quitinete e levam tudo de estudante, que pede ajuda

Natural de Nova Timboteua, jovem de 19 anos, cursa Biomedicina em Belém. Mesmo denunciando o roubo, ela conta que a polícia não realizou a perícia no local

Redação Integrada

Ladrões invadiram uma quitinete na rua Gaspar Viana, no bairro da Campina, em Belém, e roubaram da estudante Patrícia Lacorte, de 19 anos, o notebook, a impressora, roupas, compras de alimentos - no valor de R$ 600 - e até louças, botijão de gás e o ferro de engomar. Não há pistas dos assaltantes. A jovem usou as redes sociais neste domingo (28), para pedir ajuda para conseguir continuar os estudos.

"Eu me sinto derrotada, frustrada mesmo", disse nesta noite de segunda-feira (1º), Patrícia, que cursa o quinto semestre do terceiro ano de Biomedicina, em faculdade particular, em Belém. Ela pede ajuda para prosseguir na capital paraense. "Minha mãe trabalha em Nova Timboteua, ela é quem me sustenta sozinha. Não temos recursos, eu vim para estudar em Belém, e acontece uma coisa dessas", lamentou ela.

A estudante é natural de Nova Timboteua, no nordeste paraense, e notou o roubo quando chegou em casa na sexta-feira (26), vinda do município no nordeste paraense, e encontrou tudo revirado. "Acredito que eles eram um casal. Você acredita que eles deixaram as roupas velhas aqui e já sairam com as minhas roupas?", comentou a universitária, que registrou o roubo na Seccional Urbana do Comércio. "A polícia informou que faria uma perícia aqui em casa, mas estou esperando com a minha mãe e nada'', queixou-se a jovem. 

"Eles foram tão audaciosos, que tomaram banho, fizeram comida para eles, comeram e ainda deitaram em minha cama", contou a jovem ainda abalada. Ela afirmou que de tudo o que foi roubado sente mais falta do notebook e da impressora, equipamentos comprados com o esforço da mãe, que ainda paga as prestações. "Eu estudo com o meu notebook, acompanho as aulas que estão online, exceto as aulas práticas que preciso frequentar de forma presencial, porque meu curso é da área de Saúde".  

Desespero

Patícia Lacorte pede ajuda a quem puder para seguir com a rotina de estudos em Belém. "Praticamente, não tenho mais roupa para trocar. Eles levaram até peças íntimas. Estudo em Belém desde 2019, nunca havia passado por isso. Por favor, se alguém puder me ajudar, ajude-me'', disse a jovem.

"Aqui é uma quitinete alugada. Minha mãe se esforça para me manter e eu apenas estudo ainda", contou Patrícia, que tem assistido as aulas pelo aparelho de celular dela.

Quem puder ajudar a estudante Patrícia Lacorte pode depositar qualquer quantia na conta da Caixa Econômica Federal, agência 1389, conta 28336-4, ou do Banco do Brasil, agência 2355-8, conta 14.967-5. Patrícia compartilhou também seu PIX para receber qualquer quantia: 91982151082. 

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA