Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Homem mata e arranca coração de desafeto em Nova Ipixuna

Deberson Almeida dos Santos, vulgo "Pimenta", ainda tentou se livrar do corpo de Alex, lançando-o em uma represa

Redação Integrada (com informações de Josseli Carvalho e Ulisses Pompeu, do Correio de Carajás)

Um crime cometido com requintes de crueldade chocou moradores da zona rural do município de Nova Ipixuna, sudeste paraense, na madrugada deste domingo (3). Deberson Almeida dos Santos, vulgo "Pimenta", foragido do Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes (Crama), em Marabá, matou outro homem, identificado apenas pelo prenome Alex, abriu o tórax e abdômen e arrancou o coração da vítima. Depois, ainda tentou se livrar do corpo, lançando-o em uma represa. Ele foi preso e confessou a autoria do crime.

O caso foi divulgado à imprensa local pelo delegado Lênio Duarte, de Bom Jesus do Tocantins, mas que responde por Nova Ipixuna. Segundo ele, a vítima trabalhava em uma fazenda na zona rural do município, e na noite de sábado (2), havia ido a uma festa de aniversário, onde bebeu algumas cervejas e depois saiu. Na madrugada, espalhou-se a notícia de que ele havia sido assassinado por um homem conhecido como "Pimenta".

A Polícia Militar foi acionada e uma equipe foi enviada ao local, distante 32 quilômetros da sede do município. Ao chegarem lá, os policiais encontraram o corpo de Alex, que estava na beira de uma represa, próximo à Vila do 41. Informações de moradores da região confirmavam que o autor do homicídio teria sido "Pimenta", foragido do Crama, e que morava a poucos metros dali.

O delegado Lênio acompanhou a perícia no local do crime. Ele afirma que a morte ocorreu em uma rede, dentro de uma casa. No corpo da vítima havia marca de tiro de espingarda do lado esquerdo do peito. Também foram encontradas marcas de cinco a seis facadas nas costas, no lado direito. Dois cortes grandes na cabeça, talvez provocados por um tijolo que estava no quarto onde ocorreu o crime.

Segundo o levantamento das circunstâncias do crime, o assassino amarrou a vítima com uma corda e a puxou até a represa, distante cerca de 100 metros da casa. Ele abriu o tórax e abdômen e arrancou o coração da vítima. Depois, o jogou numa represa. “O coração não foi encontrado, mas a perícia confirmou que ele foi retirado”, disse o delegado.

A equipe foi ao endereço do suspeito e conseguiu prendê-lo. Na delegacia, o acusado contou que ele e Alex teriam brigado, mas não informou a motivação. Por conta da discórdia, seu desafeto teria lhe dado um soco, e por isso ele o matou. "Ele foi levado para a delegacia de Nova Ipixuna, onde o flagrante foi lavrado, mas deve ser encaminhado ainda hoje para Marabá, para ser apresentado no Centro de Triagem Masculina (CTM)", concluiu Lênio Duarte.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA