Empresário desaparecido é encontrado morto após quatro dias

O corpo de Paulo Pinheiro, de 66 anos, estava em um imóvel na estrada do Maguari, em Ananindeua

Redação Integrada

Depois de desaparecer por quatro dias, foi encontrado, na noite desta quarta-feira (4), o corpo do empresário Paulo Pinheiro de Souza, de 66 anos, em um prédio comercial, que era de sua propriedade, com nome de "Alcides Pinheiro", localizado na estrada do Maguari, em Ananindeua, Região Metropolitana de Belém.

Ele teria saído com os amigos, para um jogo de futebol no bairro do Distrito Industrial, no último sábado (30), também em Ananindeua, e não voltou para casa.

Um sobrinho de Paulo Souza, que entrou para fazer a identificação do corpo contou, à reportagem de O Liberal, que a vítima estava em uma sala comercial no 2º andar do prédio, apenas com roupa íntima, de bruços no chão e com as mãos amarradas para trás com a própria camisa.

Vizinhos teriam sentido o mau cheiro e chamaram a Polícia na noite de hoje, foi quando encontraram o corpo do empresário em uma das salas do prédio. 

O imóvel, que possui dois andares e diversas salas comerciais destinadas à aluguel, esta fechado e com uma placa para venda. Ao chegar no local, a Polícia constatou que o prédio estava todo no escuro, o que parece ter tido seu registro geral desligado.

Por volta das 23h foi finalizada a perícia e o corpo removido. De acordo com peritos, a morte de Paulo Souza foi por asfixia, o que deve ter sido feito com algum tipo de tecido, amarrados na região do torax e do pescoço, comprimindo até a morte.

Corpo foi removido no final da noite desta quarta-feira (4) (Akira Onuma)
Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA