Casal é preso por morte de idosa de 68 anos no Guamá

Inicialmente, se acreditava que a costureira havia morrido de causas naturais, mas as investigações provaram que Wellington se passou por cliente para roubar e matar mulher

Redação Integrada

Wellington Thiago Costa Sousa, de 27 anos, e Natália Franca Pereira, de 25 anos, foram presos na manhã desta quinta-feira (29) pelo envolvimento na morte da costureira Maria Socorro Lima Castro, de 68 anos, encontrada sem vida em sua residência no bairro do Guamá na última segunda-feira. Inicialmente, se acreditava que a idosa havia morrido por causas naturais, contudo, após a análise da cena do crime, ficou comprovado o cometimento de um latrocínio. 

Leia mais:

Idosa é encontrada morta no Guamá

Segundo o delegado Daniel Castro, da Seccional do Guamá, o corpo da costureira foi removido pelo Intituto Médico Legal (IML) como morte por causas naturais. Mas após comprovarem que objetos de valor haviam sido roubados, a Polícia pediu que o corpo não fosse liberado ainda para os serviços funerários.

Analisando as imagens do sistema internos de monitoramento, a polícia constatou que duas pessoas estavam na frente da casa de Socorro e fugiram do local em um táxi na noite do crime. Com essa informação, as diligências foram iniciadas e os policiais encontraram Wellington que, após interrogado, confessou o crime. Ele disse que sabia que a costureira trabalhava a noite toda, pois era seu vizinho, e durante a madrugada, foi até a casa dela fingindo precisar de um ajuste em uma roupa. Ao entrar na residência, ele imobilizou a mulher enquanto roubava vários objetos. Quando ela tentou se libertar, Wellington acertou a cabeça de Socorro com um ferro de passar roupas. A idosa não resistiu o ferimento e morreu no local.

Inicialmente, Wellington disse que havia vendido o produto do roubo no bairro do Barreiro, mas em seguida, confessou que os objetos estavam com sua companheira, Natália, em uma casa no Jurunas. A mulher também participou do latrocínio, ficando na frente da casa da costureira como vigia e ajudando a colocar os objetos no táxi. 

Na casa onde Natália foi presa, a polícia achou dois televisores, um aparelho de DVD, uma antena, um ventilador e o aparelho celular da vítima, além de 400 reais em dinheiro. Presos em flagrante, Natália e Wellington foram autuados por latrocínio e seguem à disposição da Justiça.

Polícia