Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Seminário vai apresentar resultados de pesquisas sobre ecossistemas de água doce do rio Tapajós

São sete linhas de pesquisa desenvolvidas por pesquisadores da Ufopa com financiamento da TNC/Brasil por meio do Projeto “Águas do Tapajós”.

Andria Almeida

Nesta quinta (9), a Ufopa sedia o I Seminário Científico do Projeto de Conservação de Base Comunitária dos Ecossistemas de Água Doce no Rio Tapajós com apresentação dos resultados de sete pesquisas, em parceria com a The Nature Conservancy, sobre comunidades que ocupam a bacia do rio Tapajós. O encontro será realizado no auditório da Unidade Rondon da Ufopa das 8h às 12h e das 14h às 17h.

O seminário será aberto ao público e à comunidade  acadêmica. O projeto, intitulado “Conservação de Base Comunitária em Ecossistemas de Água Doce: Rio Tapajós”, tem por objetivo contribuir para o desenvolvimento local, aumentando o conhecimento sobre o uso sustentável dos recursos aquáticos e a conservação da biodiversidade de água doce na região do médio e baixo Tapajós. 

O projeto foi desenvolvido por dois anos.  Nesse período, foram desenvolvidas pesquisas na região do médio e baixo Tapajós, envolvendo dez comunidades ribeirinhas localizadas às margens direita e esquerda do rio Tapajós, nos municípios paraenses de Trairão, Itaituba, Rurópolis, Aveiro, Belterra e Santarém.

Sobre o seminário 

Serão apresentados os resultados das sete linhas de pesquisa desenvolvidas pelos pesquisadores da Ufopa que tiveram financiamento da TNC/Brasil por meio do Projeto “Águas do Tapajós”, cujo objetivo geral é a conservação das águas dos rios da região do Tapajós. Algumas das linhas de pesquisas relacionadas ao projeto são: avaliar os níveis de mercúrio (Hg) no cabelo de indivíduos residentes em comunidades do baixo e médio Tapajós; no tecido de peixes coletados em comunidades do baixo e médio Tapajós; além da realizar atividades de educação em saúde voltadas para a prevenção e promoção da saúde no contexto da exposição mercurial voltadas às comunidades estudadas e a profissionais de saúde da atenção primária no que se refere ao reconhecimento de sintomas da exposição mercurial.

Outras linhas de pesquisa é fazer um levantamento da ocorrência e situação das populações de quelônios no rio Tapajós, incluindo novos registros de distribuição, seu uso e importância para as populações ribeirinhas, a contaminação por mercúrio e organoclorados, a identificação dos locais de agregação, desova e as rotas de migração, e o efeito da recente oferta de grãos (soja e milho) no porto de carregamento de Miritituba para atração e dieta das espécies, entre outras pesquisas.

A continuação das pesquisas está garantida, pois o projeto “Águas do Tapajós” foi renovado para os próximos dois anos.

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ