Retomada das aulas devem aguardar nova rodada de pesquisas, diz Helder Barbalho

Governador pediu cautela e disse que 'vida deve vir em primeiro lugar' ao divulgar panorama da covid-19 no Pará

Redação integrada de O Liberal

A retomada das aulas públicas na rede estadual será mesmo rediscutida em nova avaliação do cenário epidemiológico do Pará, marcada para o dia 15 de agosto, e a volta das escolas particulares no Estado também exige cautela. É o que sinalizou nesta sexta-feira (31) o governador Helder Barbalho, durante a coletiva onde anunciou os resultados da primeira fase da pesquisa epidemiológica realizada pela Secretaria de Estado de Saúde (Sespa), em parceria com a Universidade do Estado do Pará (Uepa), que traçou um panorama atualizado da presença da covid-19 no Pará.

LEIA MAIS:
- Um em cada cinco paraenses já teve covid-19, diz governo
- Escolas pedem volta e dizem que Pará tem 'imunidade de rebanho': Sespa nega
- Infectologista alerta que ainda não é o momento para a volta às aulas
- Governo reuniu com escolas particulares para discutir retorno às aulas no Pará 

 

A decisão de suspensão do retorno às escolas públicas estaduais, previsto inicialmente para essa segunda-feira (3), já havia sido anunciada pelo governador, no dia 16 de julho. Nesta sexta-feira (31), o governo anunciou que estima em 21% o percentual da população do Pará que já teve contato com a covid-19 (já tiveram a doença anteriormente, ou apresentam ainda sintomas).

Segundo a sondagem, feita pela Secretaria de Estado de Saúde (Sespa) e Universidade do Estado do Pará (Uepa), uma em cada cinco pessoas da população do Pará já teve a doença. O monitoramento se dá por inquérito epidemiológico, com entrevistas e testagens feitas em 52 municípios, nas oito regiões do Pará, com paraenses maiores de 12 anos. Ao todo, a sondagem aferiu que um total de 1.344.000 paraenses já possuem anticorpos detectados para a covid-19. A grande maioria, 63,8% dos que tiveram positivo, moram em cidades. 

Na coletiva realizada neste início de tarde, Helder Barbalho esteve ao lado do reitor da UEPA, Rubens Cardoso, e de Pedro Vasconcelos, presidente do Comitê de Biosegurança da universidade. Também participam do anúncio Rômulo Rodovalho, secretário de saúde do Pará, e o secretário adjunto da Sespa, Cipriano Ferraz, além do titular da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Segup), Ualame Machado. Assista a íntegra:

A pesquisa da UEPA e Sespa envolve municípios de todo o Pará. Iniciou em Belém e Ananindeua, e seguiu para o interior no último dia 6 de julho. Já foram coletados dados de 8.587 pessoas em 52 municípios. Os resultados ajudam a definir a estratégia de combate à covid-19, especialmente no que diz respeito à retomada de atividades que foram suspensas em razão da pandemia.

Helder: escolas devem aguardar nova rodada de pesquisa


O governo anunciou ainda nesta sexta-feira que mais 9 mil testes devem ser feitos na segunda rodada de monitoramento, a iniciar já a partir da semana que vem. Ao todo, são três as etapas do inquérito epidemiológico feito pela Sespa e Uepa. Elas abrangerão, ao final, todo o Estado. A segunda etapa incluirá mais 32 municípios, com testagem iniciadas a partir de segunda-feira (3).

"Nós deveremos fazer uma avaliação já com os dados da segunda rodada do inquérito epidemiológico a ser iniciado esta semana. E entendemos que não se pode agir de forma precipitada, correndo o risco dos ambientes escolares se transformarem em pontos de aglomeração e, consequentemente, de proliferação viral", asseverou o governador Helder Barbalho. "Dessa feita, nós continuaremos dialogando, de forma técnica".

"Deveremos fazer uma avaliação já com os dados da segunda rodada do inquérito epidemiológico a ser iniciado esta semana. E entendemos que não se pode agir de forma precipitada, correndo o risco dos ambientes escolares se transformarem em pontos de aglomeração e, consequentemente, de proliferação viral", disse o governador Helder Barbalho. "Dessa feita, nós continuaremos dialogando, de forma técnica"

Enem deve ser prioridade, diz governador


Ao final da live do início da tarde desta sexta-feira, Helder Barbalho chegou a se manifestar a respeito dos recentes atos organizados por representantes de mantenedoras de escolas particulares no Pará. Na quarta-feira (29), uma carreata percorreu as ruas de Belém pedindo a retomada gradual das aulas a partir desta segunda-feira (3). Uma audiência e uma reunião também foram agendadas na Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) e junto à Procuradoria-Geral do Estado (PGE).

"Respeito plenamente a ansiedade dos operadores [de mantenedoras de escolas particulares que pedem retorno às aulas], mas a vida deve sempre estar em primeiro lugar", ressaltou Helder Barbalho. 

"O que tenho conversado, inclusive com o Conselho Estadual de Educação e com representantes de escolas particulares, é que, no momento em que se tenha certeza e tranquilidade de que os protocolos são suficientemente adequados para a retomada gradativa das aulas, devemos recomeçar as aulas pelos alunos que estão no terceiro ano, por conta do calendário do Enem", disse Helder.

"É claro, isso preocupa a todos, e não podemos prejudicar os que farão o exame em janeiro de 2021", limitou-se a projetar o governador.

"Respeito plenamente a ansiedade [de escolas particulares que pedem retorno às aulas], mas a vida deve sempre estar em primeiro lugar", ressaltou Helder Barbalho. "O que tenho conversado, inclusive com o Conselho Estadual de Educação e com representantes de escolas, é que, no momento em que se tenha certeza e tranquilidade de que os protocolos são suficientemente adequados para a retomada gradativa das aulas, devemos recomeçar as aulas pelos alunos que estão no terceiro ano, por conta do calendário do Enem. Não podemos prejudicar os que farão o exame em janeiro de 2021"

Nova etapa da pesquisa é importante à decisão, diz governo (Thiago Gomes / O Liberal)
Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM PARÁ