Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Pará é o estado mais desmatado do Brasil em 2021; País tem 40% da perda de floresta nativa do mundo

Levantamento da WRI mostra as últimas tendências do desmatamento do mundo. O Brasil figura como líder isolado, com mais de 1,5 milhão de hectares perdidos.

Victor Furtado

Mais de 1,5 milhão de hectares de floresta tropical primária do Brasil foram perdidos em 2021, como aponta estudo da plataforma Global Forest Watch (GFW) e do World Resources Institute (WRI). A maior parte, como aponta o levantamento, é da Amazônia Brasileira. O país representou 40% de todo o desmatamento do mundo no ano, sendo seguido apenas pela República Democrática do Congo, que somou 499.059 hectares de áreas verdes primárias perdidas. No entanto, a situação nacional ainda não é pior do que em 2016, quando foram devastados mais de 2,8 milhões de hectares.

VEJA MAIS

Operação da PF prende em flagrante dois homens que desmatavam dentro de reserva indígena no Pará A dupla foi flagrada utilizando motosserras para cortar ilegalmente madeira dentro da Reserva Indígena Apyterewa, em São Félix do Xingu

Amazônia só nos primeiros três meses de 2022 tem o segundo maior desmatamento em 15 anos O Pará está em segundo lugar no ranking de desmatamento, somente no mês de março, com 27% da derrubada da floresta, representando 33 km²

O levantamento da WRI aponta que a floresta amazônica, com o avanço do desmatamento — seja por fogo ou seja por corte raso — acelera o processo de savanização da região. Somadas às mudanças climáticas, a Amazônia Brasileira está perdendo a capacidade de regeneração, o que logo levará à perda de biodiversidade e da capacidade de sequestro de carbono. Essas mudanças, como atesta o instituto, podem afetar os níveis de chuvas que são cruciais ao segmento apontado como maior gerador de desmatamento: o agronegócio.

Parte dos dados são do Projeto de Monitoramento do Desmatamento da Amazônia (Prodes), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Um dos índices analisados pelo WRI, com base no sistema, é de que houve um aumento, entre 2020 e 2021, do desmatamento por corte raso em 9%. Esse corte costuma ser o mais associado ao agronegócio. O estudo global aponta que os locais com mais desmatamento são próximos a estradas, em áreas que costumam estar ligadas à criação de gado.

VEJA MAIS

Desmatamento ilegal: mais de 2 mil hectares são embargados no Pará durante Operação Amazônia Viva A operação foi deflagrada nos municípios de Marabá, São Félix do Xingu, no sudeste paraense, e Altamira, sudoeste do Pará

Desmatamento: Pará recebe quatro bases para operação 'Guardiões do Bioma' A operação, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, recebeu investimento de R$ 170 milhões e atuará também nos estados do Amazonas, Mato Grosso e Rondônia

10 campos de futebol perdidos por minuto no mundo

Ao todo, o levantamento GFW mostra a perda de 3,75 milhões de hectares de floresta nativa. A média seria de 10 campos de futebol por minuto. Essa perda de cobertura vegetal levou à emissão de 2,5 gigatoneladas de dióxido de carbono. O Brasil concentra cerca de um terço de toda as florestas tropicais primárias remanescentes no mundo. E, anualmente, apresenta a perda média de 1 milhão de hectares de cobertura vegetal desde 2016.

"A perda de floresta primária no Brasil é especialmente preocupante, pois novas evidências revelam que a floresta amazônica está perdendo resiliência, estando mais perto de um ponto de inflexão do que se pensava anteriormente", comenta Fabíola Zerbini, diretora de Florestas, Agricultura e Uso do Solo do WRI Brasil. A Amazônia Brasileira — em espaços como a BR-319, BR-364 e BR-230 (Transamazônica) — concentra espaços de maior preocupação, assim como a região do Pantanal, alvo de grandes incêndios em 2020.

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará (Semas), em nota publicada quando o levantamento PRODES 2021 saiu, informou que "de acordo com os dados do Sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real (DETER), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Estado apresentou redução nos seus índices de desmatamento em 7 dos 12 meses de 2021, nas áreas sob responsabilidade estadual, no período de janeiro a dezembro, quando se comparam os números com os do ano anterior"

Ainda na nota, a Semas destacou: "No acumulado, a diminuição é de 11% - uma redução de 445,15 km². Segundo aponta a Semas, o Estado apresentou ainda uma redução de 51% no desmatamento em todo o Estado no mês de dezembro, quando se comparam os dados com o mesmo período de 2020".

A operação Amazônia Viva é uma das medidas do Governo do Pará para contenção do desmatamento ilegal (Ascom Semas / Agência Pará / Arquivo)

Ranking global de desmatamento em 2021 (em hectares)

  1. Brasil: 1.548.657
  2. Congo: 499.059
  3. Bolívia: 291.379
  4. Indonésia: 202.905
  5. Peru: 154.278

Perda de floresta tropical primária no Brasil (em hectares)

  • 2021: 1,5 milhão
  • Fogo: 360 mil
  • Corte: 1,19 milhão

 

  • 2020: 1,8 milhão
  • Fogo: 610 mil
  • Corte: 1,09 milhão

 

  • 2019: 1,3 milhão
  • Fogo: 270 mil
  • Corte: 1,1 milhão

 

  • 2018: 1,3 milhão
  • Fogo: 320 mil
  • Corte: 1,03 milhão

 

  • 2017: 2,1 milhão
  • Fogo: 900 mil
  • Corte: 1,24 milhão

 

  • 2016: 2,8 milhão
  • Fogo: 1,63 milhão
  • Corte: 1,2 milhão

Estados com maior desmatamento em 2021 na Amazônia:

  1. Pará: 5.257 km²
  2. Amazonas: 2.347 km²
  3. Mato Grosso: 2.263 km²
  4. Rondônia: 1.681 km²
  5. Acre: 871 km²
  6. Roraima: 386 km²
  7. Maranhão: 363 km²
  8. Amapá: 39 km²
  9. Tocantins: 28 km²

FONTE: GFW E PRODES

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ