Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Fiscalização apreende mais de 300 kg de polpa de fruta em Tomé-Açu

Ação será realizada ainda nos municípios de Marabá, Santarém, Redenção, Paragominas, Altamira, Xinguara e Conceição do Araguaia

Redação Integrada

A Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), Ministério Público e a Vigilância Sanitária municipal apreenderam mais de 300 kg de polpas de frutas sem registro de inspeção estadual em 16 supermercados de Tomé-Açu e distrito de Quatro Bocas, no nordeste paraense, nesta quarta (24) e quinta-feira (23).  No radar dos fiscais agropecuários estaduais estão informações como fabricante, data de fabricação, prazo de validade, lote etc.


"Os estabelecimentos que produzem polpas de frutas sem inspeção não tem nenhum tipo de higiene e mesmo o produto sendo congelado, não segue padrões para a produção desses tipos de alimentos, não tem qualidade e origem, o que representa risco para a saúde humana", destacou o  gerente de Inspeção e Classificação Vegetal (GICV) da Adepará, Nelson Leite.

O gerente explicou também que um dos motivos para a ação ser direcionada, nesse primeiro momento, às polpas de fruta, é o fato de que o produto é costumeiramente consumido na alimentação escolar. "Um dos objetivos é dar condições para a agroindústria estar habilitada a entrar em uma concorrência do município, pois só é possível participar do PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), as agroindústrias com o certificado de sanidade, como por exemplo o Selo Artesanal da Adepará", afirmou Leite.

"O produto que não foi produzido dentro de condições mínimas de higiene pode conter bactérias ou outros microrganismos que podem prejudicar a saúde da população. Então, o que recomendamos é que o consumidor verifique no rótulo todas as condições que estão sendo oferecidas, como: quem fabricou, data de fabricação, prazo de validade, lote, informações nutricionais e todas as informações inerentes àquele produto para que assim, possa ter a garantia de estar consumindo um produto seguro e inspecionado pelos órgãos oficiais", ensinou o engenheiro agrônomo, Mário Tavares, fiscal agropecuário da Adepará.

De acordo com a Adepará, a ação foi iniciada em Tomé-Açu em razão de o município ser líder na produção de polpas no território estadual. "Então, por aqui, circula muita polpa de fruta clandestina. Nós já fizemos várias visitas aqui nos estabelecimentos e poucos produtores se prontificaram a regularizar os seus estabelecimentos e fazer registro na Adepará. Porém, também há produtores que estão se registrando, investindo nesse segmento da cadeia de polpas e eles solicitam que a Adepará e outros órgãos estaduais fiscalizem os produtos de clandestinos", afirmou o fiscal agropecuário.

A ação será realizada em outros municípios, com prioridade de atuação em municípios pólo, como: Marabá, Santarém, Redenção, Paragominas, Altamira, Xinguara e Conceição do Araguaia, por causa da presença de grandes supermercados.

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ