Vazam mensagens em que universitários planejavam estupro

Grupo de mensagens também organizava competição para ‘riquinhos’ fazerem sexo com a estudante ‘mais pobre’

Redação Integrada com informações do Daily Mail

A Universidade de Durham prometeu expulsar os alunos que infringiram as regras da instituição após denúncias de que calouros planejavam uma competição para “rapazes ricos” fazerem sexo com a garota mais pobre do campus.

Chats em grupo, que se acredita serem para calouros que passarão a integrar ​​a universidade partir de 28 de setembro, foi exposto em um grupo do Facebook na terça-feira, 8.

Em um dos bate-papos, em grupo que pode reunir cerca de 60 membros, discute-se estupro, que drogas usar nas meninas para cometer o crime, e se os participantes iriam ou não delatar uns aos outros compartilhando mensagens.

Uma conversa do grupo Durham Boys Making All The Noise (rapazes de Durham fazendo muito barulho, em tradução livre) também expõe planos para “riquinhos” competirem para dormir com a garota “mais pobre” da universidade.

Estudantes se revoltaram com o conteúdo das conversas e delataram para as autoridades universitárias, exigindo que eles “condenassem esse comportamento com ação”.

A Universidade de Durham iniciou uma investigação e prometeu expulsar os alunos infratores, dizendo que o “inaceitável” bate-papo “violou os valores e comportamentos que defendemos como comunidade universitária”.

Estupro

Além de estabelecerem regras no grupo, como as conversas não saírem dali, sexismo e estupro.

Em uma discussão, uma pessoa escreveu: “Muitas pessoas são acusadas de estupro. Sempre fico preocupado com isso depois.” Outro emendou: “Eu conheço talvez 15 meninas que dizem ter sido estupradas e nenhuma levada a tribunal. Ou um relatório policial.”

“E as mulheres sempre acreditarão nas mulheres principalmente.”

Uma aluna, que pediu para permanecer anônima, disse que estava indignada com o conteúdo, acrescentando: “Isso fez as meninas dizerem que agora estão com medo de vir para Durham Uni”.

Outros disseram à universidade para agir, alegando: “Espero que vocês estejam cientes de que há um bate-papo em grupo de calouros com um monte de rapazes discutindo maneiras de usar drogas de estupro em meninas, discutindo-as como objetos e fazendo planos para f** a menina mais pobre.”

Resposta

Uma aluna escreveu ainda, endereçando-se à universidade: “Repugnante. Mostre-nos com ações o quanto vocês condenam esse comportamento. Mostre-nos o quanto vocês se preocupam com a segurança dos alunos. Vocês vão permitir que eles entrem no campus com intenções deixadas bem claras?”

O pró-reitor da universidade, Jeremy Cook, disse ao MailOnline nesta quarta-feira, 9: “A universidade foi informada sobre comentários totalmente abomináveis nas redes sociais, que entendemos que podem ter sido postados por alunos de Durham. A Universidade de Durham condena totalmente o conteúdo e o comportamento demonstrado nessas postagens nas redes sociais. Isso é totalmente inaceitável e viola os valores e comportamentos que defendemos como comunidade universitária. Nós iniciamos uma investigação imediata por nossa equipe disciplinar sobre os alunos assim que ficamos sabendo dessas postagens nas redes sociais. Se essas postagens forem genuínas e atribuíveis (a alguém), tomaremos medidas para garantir que as pessoas envolvidas não tenham lugar na Universidade de Durham.”

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!