Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Primeira dose de vacina em quem já teve covid pode servir como dose de reforço

Pessoas que contraíram a doença têm Duas Vezes mais probabilidade de sofrer efeitos colaterais com a vacina da Pfizer

Redação Integrada com informações do Daily Mail

As pessoas que já contraíram covid têm quase o dobro de probabilidade de sofrer efeitos colaterais ao tomar a vacina da Pfizer (que ainda não está sendo aplicada no Brasil) em comparação com aqueles que nunca contraíram o vírus, sugerem estudos.

Números de um aplicativo de rastreamento de sintomas mostram que 33 por cento das pessoas que já haviam contraído o vírus sofreram pelo menos um efeito colateral leve - como fadiga ou dor de cabeça uma semana após receberem a injeção.

Para efeito de comparação, a taxa era de apenas 19% entre as pessoas que não tiveram covid.

O aplicativo ZOE Covid-19 Symptom Study revelou que o efeito colateral mais comum era a fadiga, com 9%. Foi seguido por dores de cabeça (8%) e calafrios (4%).

Enquanto isso, os dados também mostraram que a maioria dos efeitos colaterais - conhecidos como sistemáticos porque todo o corpo é afetado - apareceram 48 horas após a vacinação.

Apenas 3% tiveram complicações que duraram mais de três dias.

Dose de reforço

O professor Tim Spector, epidemiologista do King's College London, que dirige o aplicativo ZOE Symptom, que também estima infecções em todo o país, disse que os dados sugerem que a primeira dose para aqueles que já tiveram covid se comporta como uma injeção de reforço.

O estudo analisou dados de pessoas de todas as idades que tiveram 40.000 doses aplicadas.

Ele descobriu que 37% tinham dor ou inchaço próximo ao local da injeção após a primeira dose, o que aumentou para 45% após a segunda dose.

Os dados também mostraram que 14% dos participantes relataram pelo menos um efeito colateral dentro de sete dias após a primeira dose, em comparação com 22 por cento após a segunda injeção - sugerindo que a dose complementar causa uma resposta imunológica mais forte.

Imunidade forte

Os números mostram que 13% dos homens registraram pelo menos um efeito colateral em sete dias, em comparação com 19% das mulheres que receberam a vacina.

Os menores de 55 anos eram mais propensos a experimentar um efeito colateral, com 21% registrando pelo menos um sintoma, em comparação com 14% dos maiores de 55 anos.

Sobre os efeitos após a vacinação Pfizer / BioNTech, Tim Spector disse: “Isso sugere que se você teve covid antes de sua primeira dose de vacina, ela está se comportando um pouco como a segunda dose – a de reforço.”

Ele descreveu como a maior taxa de efeitos colaterais observada em pessoas que já haviam contraído a Covid: “As pessoas já tiveram uma resposta imunológica (com a doença) e estão recebendo um reforço ainda maior, de modo que sua imunidade ficará mais forte.”

O professor Spector acrescentou: “Espero que, uma vez que analisemos e obtivemos um pouco mais dos dados, mostremos que este grupo que tinha anteriormente covid, talvez seis meses antes, tenha uma proteção ainda maior do que os 53% após essa dose única.”

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO