Pedófilo é torturado na cadeia para que 'sentisse o que todas aquelas crianças sentiram'

O preso morto foi condenado por um número sem precedentes de crimes contra crianças com idades entre seis meses e 12 anos

Redação Integrada com informações de Daily Mail

Um "notório pedófilo predatório" foi estuprado e estrangulado até a morte em sua cela por outro preso que queria que ele “sentisse o que todas aquelas crianças sentiram”. Richard Huckle, de 33 anos, cumpria 22 penas de prisão perpétua por abusar de 191 crianças quando teria sido atacado em sua cela pelo companheiro de prisão Paul Fitzgerald, de 30.

O tribunal da Grã-Bretanha ouviu Fitzgerald nesta quarta-feira (18). O preso, que também é um agressor sexual, estrangulou Huckle, forçou uma caneta em seu nariz até seu cérebro e o agrediu sexualmente com um utensílio de cozinha. O preso morto também foi esfaqueado no pescoço com uma arma feita com a inserção de um parafuso em uma escova de dente derretida.

Os jurados foram informados de que Huckle foi assassinado em um “ataque prolongado destinado a humilhá-lo e degradá-lo”, em East Yorkshire, em outubro de 2019. 

O advogado de acusação, Alistair Neil Macdonald, disse que o ataque de Fitzgerald, que foi preso indefinidamente em 2009 por um ataque sexual a um passeador de cães, também foi "uma forma de punição" pelos crimes que Huckle cometeu. O acusado negou o assassinato.

O advogado disse ao tribunal que Huckle foi morto em sua própria cela, entre 10h30 e 11h do dia 13 de outubro do ano passado. Ele contou que foi um colega presidiário, Ronald Mariner, que descobriu.

O preso morto estava com suas mãos e pés estavam amarrados e de bruços enquanto era estrangulado. Havia uma poça de sangue ao redor de sua cabeça, disse o advogado.

Depois de ser removido à força da cela, Fitzgerald disse aos policiais: "Acho que o matei, ele está morto", completou o advogado de acusação.

A autópsia concluiu que Huckle morreu estrangulado com um cabo elétrico. Ele tinha hematomas e escoriações no corpo e foi abusado sexualmente com um objeto de dez centímetros de comprimento.

O julgamento, que deve durar cinco dias, continua. 

Pedófilo conhecido

Huckle foi condenado a 22 penas de prisão perpétua, em 2016, por um número sem precedentes de crimes contra crianças com idades entre seis meses e 12 anos.

O fotógrafo freelance tinha como alvo jovens vulneráveis ​​enquanto trabalhava como voluntário em orfanatos na Malásia e Camboja. 

Huckle visitou o Sudeste Asiático pela primeira vez em um ano sabático aos 19 anos e voltou disfarçado de professor e cristão para se infiltrar em comunidades pequenas e pobres.

Ele foi preso em junho de 2016 depois de compartilhar fotos e vídeos de seus ataques com pedófilos em todo o mundo. Ele ainda tentou fazer negócios com seus crimes através do financiamento coletivo para a divulgação das imagens.

Huckle também estava elaborando um manual de pedofilia de 60 páginas no momento de sua prisão pela Agência Nacional de Crime.

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO