Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Esqueleto de 'mulher vampira' é achado com foice no pescoço

Segundo os pesquisadores, a medida de sepultamento era utilizada para a "proteção contra o retorno dos mortos"

Paula Figueiredo

O esqueleto de uma "mulher vampira" foi encontrado durante uma recente escavação em Bydgoszcz, na Polônia, local onde funcionava um antigo cemitério da região. Segundo os pesquisadores responsáveis pela descoberta, os restos mortais estavam com uma foice em volta do pescoço e um cadeado em um dos dedos do pé, uma medida utilizada para a "proteção contra o retorno dos mortos". As informações são do Uol.

VEJA MAIS

Pegadas de dinossauros de 113 milhões de anos são descobertas após seca de rio
A seca do rio também revelou pegadas de dinossauros da espécie Acrocantossauro e Sauroposeidon, um dos maiores que já existiram

Esqueleto gigante é desenterrado em praia e vira atração
Ossada pode ser de uma espécie do tipo baleia-de-bryde enterrada na mesma região há 12 anos, segundo biólogo

Esqueleto de dois mil anos é achado portando um 'celular'
Objeto tem um formato bem conhecido pelas pessoas do século 21, mas data de antes da Era Cristã

"As formas de se proteger contra o retorno dos mortos incluíam cortar a cabeça ou as pernas, colocar o falecido de bruços, queimá-los e esmagá-los com uma pedra", disse o professor Dariusz Polinski, afirmando que a posição do objeto iria provavelmente cortar a cabeça do falecido que tentasse levantar

"Mulher vampira" enterrada com foice na garganta. (Foto: Reprodução)

A equipe ainda descobriu que o esqueleto feminino tinha um gorro de seda na cabeça, o que indicava um suposto alto status na época em que foi enterrada.

Descobertas anteriores

Em meados de 2015, arqueólogos da vila de Drewsko identificaram cinco esqueletos enterrados de maneira semelhante em um cemitério de aproximadamente 400 anos. As foices foram encontradas pressionadas contra a garganta de um homem e uma mulher adulta, entre 35 e 44 e 35 e 39 anos, respectivamente. Já o esqueleto de uma outra mulher mais velha, entre 50 e 60 anos, foi encontrado com uma foice nos quadris e uma pedra na garganta. 

Os pesquisadores da época afirmaram que a forma de enterrar o corpo era uma garantia de que os mortos iriam permanecer nos túmulos e também para "proteger os mortos das forças do mal"

(Estagiária Paula Figueiredo, sob supervisão de Tainá Cavalcante, editora web de OLiberal.com)

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO