Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Cientistas conseguem ‘reverter’ Parkinson em paciente após realizar mini implante cerebral

O mini implante consegue reverter a contração involuntário, que causa os tremores, após enviar estímulos elétricos em zonas profundas no cérebro

Amanda Martins

Um dos maiores desafios da doença de Parkinson é conseguir lidar com os sintomas, que vão desde os tremores nas mãos até alterações na fala. Mas, graças a uma tecnologia de mini implante cerebral, desenvolvida pela equipe do Hospital Southmead, no Reino Unido, esses indicativos da doença estão perto de serem revertidos

VEJA MAIS

Parkinson: paraense produz conteúdos na web e inspira outros pacientes a superarem a doença
Gisele Tavares, 57 anos, é inspiração para internautas mundo afora através dos seus vídeos publicados no Youtube, onde compartilha sua história, e na rede social Kwai, para seus mais de 4 mil seguidores

Substância que pode evitar a evolução da doença de Parkinson é descoberta em estudo da USP
Nos experimentos conduzidos em camundongos, esse composto reduziu cerca de 60% da morte celular cerebral

Estudo Brasil-EUA revela como o Parkinson começa

E o sucesso do método foi constatado por Tony Howells, o primeiro paciente do estudo clínico. Em novembro de 2020, ele recebeu o aparelho de estimulação cerebral profunda (DBS) contra o Parkinson. Durante um ano, o homem foi monitorado e os pesquisadores puderam avaliar os efeitos do implante no cotidiano.

Confira a evolução do paciente:

O aparelho tinha como função reverter a contração muscular involuntária, que causava os tremores e a rigidez do movimento em Howells. Hoje, bem melhor, o paciente afirma que está há um ano com os sintomas controlados

Para trazer uma melhora de vida ao paciente, a técnica usada consistia em suaves estímulos elétricos em zonas profundas no cérebro, que está aprovada em vários países do mundo, inclusive no Brasil.

A grande novidade do aparelho instalado no primeiro paciente é o tamanho do produto, que é bem menor do que os dispositivos usados anteiormente, além de causar mais conforto e cirurgia é menos complicada. 

(*Estagiária Amanda Martins, sob supervisão do editor executivo de OLiberal.com, Carlos Fellip)

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO