Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

América do Sul registra primeira suspeita da varíola dos macacos

Argentina confirma o primeiro caso suspeito de infecção pelo vírus

Emilly Melo

O primeiro caso suspeito da varíola dos macacos da América do Sul foi registrado na Argentina, na noite do último domingo (22). A doença, comumente encontrada na África, tem se espalhado pela Europa e América do Norte. 

VEJA MAIS

Varíola dos Macacos: 'doença pode chegar no Brasil em breve', diz epidemiologista
O vírus já soma 100 casos em 16 países fora da África, seu continente de origem

Varíola de macaco: entenda sobre a doença que tem se espalhado no mundo
Já são 131 casos confirmados da doença segundo a OMS; Sespa diz ainda não há indicação de barreira sanitária no Pará

O Ministério da Saúde argentino confirmou a informação. O homem possivelmente infectado é um morador de Buenos Aires, que buscou atendimento em uma clínica durante o fim de semana com o sintoma mais característico da doença: pústulas pelo corpo. Ele também apresentou febre

O homem foi isolado e recebe tratamento para os sintomas, enquanto amostras são colhidas para análise de especialistas e pesquisadores. O argentino viajou recentemente para a Espanha, país com casos confirmados dessa doença. Médicos e estudiosos criaram um grupo de trabalho para coordenar ações clínicas e epidemiológicas para validar ou descartar o caso. Eles também devem propor medidas para controlar possíveis transmissões. 

Vacinação

A varíola humana foi a primeira doença a ser erradicada da história, há mais de 40 anos, após uma campanha de vacinação global. Devido ao vírus do macaco ter relação com o humano, o imunizante tem eficácia de 85% contra a segunda versão

O fim da varíola humana foi certificado em 1980 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), ou seja, pessoas com mais de 55 anos que foram vacinadas antes da erradicação podem ter uma imunidade considerável contra a varíola dos macacos. 

Países como os Estados Unidos possuem um grande estoque da vacina. No Reino Unido, o secretário de Saúde, Sajid Javid, afirmou que o país está estocando vacinas. "Posso confirmar que adquirimos mais doses", disse ele.

No Brasil, somente as pessoas nascidas antes de 1979 foram vacinadas. "Apesar de ela já estar aprovada, a vacina não está disponível em larga escala no Brasil e não sabemos em quanto tempo isso pode acontecer. É uma dificuldade e uma preocupação", diz a epidemiologista Ethel Maciel.

(*Emilly Melo, estagiária, sob supervisão de Keila Ferreira, coordenadora do Núcleo de Política)

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO