No desespero, Paysandu encara o Vila Nova-GO para se afastar do Z2 e se aproximar do pelotão da frente

Papão faz uma campanha abaixo do esperado, até o momento

Nilson Cortinhas

A aproximação da zona de rebaixamento não tirou o foco do Paysandu, que ainda permanece olhando para os quatro primeiros, do grupo A, da Série C do Campeonato Brasileiro. No entanto, com a mesma pontuação do 9º colocado, 11 pontos, o Papão também olha para baixo na tabela de classificação. Essa dualidade será resolvida hoje. Se empatar ou perder para o Vila Nova-GO, a partir das 18h, em jogo no estádio Mangueirão, pela 11º rodada, o time de Matheus Costa lutará contra o rebaixamento. Algo impensável antes da competição iniciar. Entretanto, caso confirme o seu mando de campo e vença, o Paysandu pode até entrar no grupo dos quatro primeiros. 

Dessa forma, não é exagero afirmar que se trata de uma partida com status de decisão. O problema é que o Paysandu vai lidar com a decisão com o peso da atuação irregular diante do Santa Cruz-Pe, em Recife. E tende a jogar sem o seu principal jogador de meio-campo que é Anderson Uchôa - o teste de Covid-19 indicou resultado positivo e o atleta foi afastado imediatamente. Em contrapartida, o time terá o peso de um ataque produtivo, liderada por Nicolas e Vinícius Leite. O primeiro, em mensagem claramente direcionada aos torcedores, via redes sociais, afirmou que o time se mobiliza para dar uma arrancada na reta final da Série C e obter o acesso. "Vamos atingir o objetivo". O segundo é um caso totalmente atípico. Com contrato encerrando no próximo dia 10, Vinícius Leite tenta manter a concentração nos objetivos bicolores, contudo, está próximo de se despedir rumo ao futebol catarinense - o Avaí é o principal interessado. 

Sistema defensivo     

Além dos problemas de natureza ofensiva, há uma questão defensiva que carece de resolução imediata. A defesa bicolor é uma das mais vazadas da competição: 13 gols negativos em 10 jogos. Se não bastasse, a torcida elegeu um culpado: o goleiro Gabriel Leite, que falhou em lances de reposição de bola, gerando contra-ataques mortais dos adversários. A falta de competitividade bicolor passa pela situação. O setor bicolor era o mais combativo em 2019. A situação se inverteu, contudo. 

Meio-campo 

Sem Uchôa, que não deve atuar, Matheus Costa vai ter que encontrar uma solução baseada em atletas irregulares, casos de Serginho, Wellington Reis e Alex Maranhão. Nenhum dos três convenceu plenamente durante a atual temporada. Se tivessem reservas em condições técnicas melhores, provavelmente, perderiam a posição. No entanto, a instabilidade domina o setor - o apoiador Juninho foi testado, mas ainda sem o esperado sucesso. 

Vila Nova

O Vila é vice-líder do Grupo A, com um retrospecto positivo: sete jogos invicto e melhor defesa da competição. O meia Emanuel Biancucchi não quer sabe de acomodoção. "Sempre podemos crescer e conseguir uma vitória lá no Pará", disse.

Ficha Técnica

Paysandu - Gabriel Leite, Tony, Perema, Wesley Matos e Bruno Collaço; Serginho, Wellington Reis e Alex Maranhão; Vinícius Leite, Nicolas e Uilliam Barros. Treinador: Matheus Costa  

Vila Nova - Fabrício, Celsinho, Adalberto, Rafael Donato e Mário Henrique; Pedro Bambu, Pablo e Emanuel Biancucchi; Rodrigo Alves, Talles e Henan. Treinador: Bolívar 

Local: Mangueirão

Horário: 18h  

Árbitro: Thiago Luis Scarascati (SP)

Assistentes: Herman Brumel Vani (SP) e Leandro Matos Feitosa (SP)

Paysandu
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM ESPORTES