Há 16 anos, Paysandu quase estraga festa da Tríplice Coroa do Cruzeiro

Ex-volante da Raposa e do Papão relembrou o jogo nas redes sociais

Carlos Fellip

Se em 2019, o Cruzeiro vai traçando um roteiro de um virtual rebaixamento à Série B do campeonato brasileiro, em 2003, o clube era a sensação nacional e, depois de conquistar o campeonato mineiro e a Copa do Brasil, estava a uma vitória de garantir a Série A do Brasileiro com duas rodadas de antecedência. O adversário daquele 30 de novembro, há exatos 16 anos, foi o Paysandu, que tinha vivido a histórica passagem pela Copa Libertadores da América.

Augusto Recife (segundo da esquerda para a direita) é amigo pessoal de Alex (com o cartaz) até hoje (Arquivo pessoal)

O volante Augusto Recife, que era titular do Cruzeiro e, naquele jogo, foi substituído por Felipe Melo, acionou as redes sociais para relembrar a partida através de fotos. No entanto, evitou falar sobre o Paysandu, já que também vestiu a camisa do Bicola por quatro temporadas consecutivas, de 2014 a 2017.

Volante jogou quatro temporadas seguidas no Paysandu (Akira Onuma)

Na partida, o Cruzeiro de Alex, Zinho e companhia começou a todo vapor e conseguiu abrir o placar logo aos sete minutos em cobrança de falta de Zinho. Na volta do intervalo, o Santos - que disputava o título - tinha sofrido o segundo gol do Goiás e os cruzeirenses relaxaram na partida. O Paysandu, portanto, ganhou espaço e pressionou.

O então jovem meia Magnum saiu do banco para aquecer a ofensividade do Papão. Aos quatro minutos, o meia entrou na área e chutou quase sem ângulo para obrigar Gomes a fazer grande defesa. A bola ainda bateu na trave antes de sair pela linha de fundo.

Aos 28 minutos, porém, Mota, que tinha entrado no lugar de Aristizábal, aumentou para a Raposa. Já aos 45, Aldrovani recebeu na área e bateu na saída de Gomes para diminuir para o Bicola, mas o jogo já estava garantido para o título celeste.

Assista aos melhores momentos da partida abaixo!

Ficha técnica (Cruzeiro 2 x 1 Paysandu)

Cruzeiro: Gomes, Maurinho, Cris, Edu Dracena e Leandro; Maldonado, Augusto Recife (Felipe Melo), Wendel (Sandro) e Zinho; Márcio Nobre e Aristizábal (Mota). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Paysandu: Carlos Germano; Lecheva, Lima, Jorginho e Souza; Vanderson, Sandro, Vélber (Junior Amorim) e Magnum; Aldrovani e Jóbson (Alexandre Pinho). Técnico: Ivo Wortmann

Gols: Zinho, aos 7 minutos do 1º tempo; Mota, aos 28 minutos, Aldrovani, aos 45 minutos do 2º tempo
Cartões amarelos: Sandro (Paysandu)

44ª rodada do Campeonato Brasileiro 2003
Data: 30 de novembro de 2003
Local: Mineirão (Belo Horizonte-MG)
Horário: 16h
Árbitro: Héber Roberto Lopes     
Assistentes: Roberto Braatz (PR) e Altemar Roberto Domingues (PR)
Público pagante: 73.141
Renda: R$ 827.201,00 (preço médio: R$ 11,31 )

Paysandu
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM ESPORTES