Goiás teria jogado com lateral Ernandes irregular quase todo campeonato

Se for comprovado fraude goiana o Paysandu será um dos clubes beneficiados e permanece na Série B do Campeonato Brasileiro

Uma luz no fim do túnel para o Paysandu que, na semana passada, amargou rebaixamento à Série C, porém, pode permanecer na Série B desde que seja comprovada a irregularidade cometida pelo Goiás. Notícia publicada em Campinas, São Paulo, diz que o time goiano atuou atuou toda Série B do Campeonato Brasileiro com um jogador irregular: o lateral esquerdo Ernandes Dias Luz, de São Félix do Araguaia, no Mato Grosso. Ele teria falsificado sua certidão de nascimento. Com isso, o time de Goiânia pode perder o acesso à Série A, entregando a vaga para Ponte Preta.

Ernandes nasceu no dia 11 de novembro de 1985 e tem sua certidão autenticada em São Félix do Araguaia, no Mato Grosso, documento confirmado pelo 2º Cartório da cidade. Mas há também outra certidão de nascimento do dia 11 de novembro de 1987 e que foi usada pelo jogador como original.

No Boletim Informativo Diário (BID), da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ernandes Dias Luz nasceu no dia 11 de novembro de 1987, como consta no segundo documento – que ainda não teve constatada sua originalidade.

Se a certidão de nascimento foi realmente falsificada, tanto o jogador, quanto o clube, podem ser punidos pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) como prevê o Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). Ernandes atuou 31 jogos pelo Goiás. Para que o processo seja aberto, um time precisa denunciar os goianos ou então a Promotoria do STJD precisa entender que há infração, sendo que a própria instituição abre o processo contra o Goiás..

Dois clubes estão interessados na possível infração do Goiás: Ponte Preta, quinta colocada na Série B. A Macaca fechou o campeonato empatada em números de pontos com o clube goiano, quarto colocado, mas atrás pelo número de vitórias: 18, contra 16. Por isso, caso seja realmente punido pelo STJD, o time de Campinas poderia comemorar o acesso tardio para a primeira divisão, mesmo que saia dos tribunais.

Outro que acompanha distante as denúncias é o Paysandu que terminou fechou na 17ª posição, com 43. Se o Goiás perder os pontos disputados com Ernandes em campo cairia direto para a zona de rebaixamento, salvando o clube paraense de disputar a Série C em 2019. As possibilidades ainda são remotas e depende de uma análise da promotoria do STJD.

O advogado Alexandre Pires, diretor juridico do Paysandu, afirmou estar ciente da situação e aguarda um tempo para agir pelo clube. "Na verdade, aguardamos desfecho disso e para depois ver o caminho a tomar. Até agora não se sabe de nenhuma notícia de infração no STJD. Estamos investigando, fazendo levantamento de como poderemos trabalhar caso proceda tal acusação", disse. 

Paysandu