Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Carreira, Paysandu, futuro... Confira a entrevista com o capitão do Paysandu, Genílson

Zagueiro do Papão é um dos pilares da defesa bicolor, ao lado do goleiro Thiago Coelho

Andre Gomes

Capitão do Paysandu, o zagueiro Genílson tem sido elogiado pela torcida do Paysandu. Ao lado do goleiro Thiago Coelho, ambos têm sido vistos como os pilares da defesa bicolor na Série C do Brasileirão. Aproveitando o momento positivo do atleta com a camisa alviceleste, a equipe de O Liberal conversou com Genílson para falar sobre a carreira, Paysandu, e o futuro.

1. Como foi a decisão para se tornar jogador e quem mais o incentivou?

"Descobri [que queria ser jogador futebol] com sete anos. Meu pai me incentivou bastante, me levava para as escolinhas e fomos indo até hoje. Graças a Deus sou feliz fazendo o que amo. Passei por dificuldades em clubes, passei fome em alguns clubes que estive, acho que a maioria dos atletas já passaram por isso - salário [baixo ou atrasado]. Mas tenho uma família que me apoia".

2. Conte sobre seu início no futebol. Precisou sair de casa cedo para viver seu sonho?

"Eu saí cedo de casa. A primeira experiência que tive, com 17 anos, fui para Portugal, fazer uns trabalhos no Porto. Depois voltei para o Brasil, para o clube que tinha meus direitos, que era o Tigres do Brasil, que fica em Xerém (RJ). Depois tive uma outra experiência, já com 18 anos, no Arsenal-ING, depois fui para a base do Vasco, até que comecei a rodar já como profissional".

3. Após a lesão de Ricardinho, você assumiu a braçadeira de capitão. Esta é sua primeira experiência como capitão?

"Não, sou capitão desde a base. Tenho esse instinto de liderança desde a base, do juvenil/juniores tenho sido capitão".

4. Como tem sido trabalhar com o técnico Márcio Fernandes? Pretende permanecer por mais no clube?

"É a primeira vez que trabalho com ele, já tive a oportunidade de jogar contra. Tenho alguns amigos que trabalharam com ele e falaram muito bem dele. Fez o convite junto da diretoria, então eu vim. Estou gostando muito do trabalho dele e vai nos levar para o caminho certo".

5. O Paysandu vem de 12 jogos seguidos tomando gols na Série C. O que o time precisa fazer para terminar com esta sangria?

"A gente precisa continuar trabalhando, convictos no trabalho, para que a gente possa diminuir estes gols tomados. A gente tem ciência que estamos tomando uns gols que não se toma, às vezes tem mérito do adversário que muitos não reconhecem. Mas a gente sabe que tem que melhorar".

Paysandu
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM PAYSANDU

MAIS LIDAS EM ESPORTES