Paysandu e Remo se opõem à elitização do futebol, ressalta imprensa nacional

Matéria do El País aborda aproximação com torcedores de diversas camadas populares

Redação Integrada

A mídia do eixo sul e sudeste, frequentemente, aborda a força da dupla Paysandu e Remo, sobretudo, a sua relação com a sua torcida. 

Neste domingo, o site El País traz uma matéria, assinada pelo jornalista Breiller Pires, discutindo as estratégias dos clubes para se impor a um processo intitulado 'elitização do futebol'. 

Breiller ressalta que Paysandu e Remo investem em vertentes populares de programas de fidelização do torcedor. A ideia é ter estádios cheios para tornar os times mais competitivos. 

Do lado bicolor, o jornalista relembra a criação do projeto Alegria do Povo, que selecionou torcedores para um programa de entradas gratuitas em jogos. 

Do lado azulino, por sua vez, há citação ao plano de sócio-torcedor, destinado a beneficiários de programas sociais, entre eles, o Bolsa Família. 

Ingressos 

Outro assunto abordado é o preço dos ingressos, sendo feito uma comparação com clubes tradicionais brasileiros. Paysandu e Remo, em média, cobram R$20 para ingressos de arquibancada.  O Corinthians cobra R$50 para o mesmo tipo de ingresso.  

Para os times paraenses, o resultado é satisfatório: aproximadamente 10.000 torcedores por partida e, de acordo com Breiller, superando times como Botafogo, Fluminense e Goiás. 

Tanto Paysandu quanto Remo estipulam chegar a mais de cinco mil sócio-torcedores ativos nos próximos dias.  

Veja a matéria aqui

 

Leia mais: 

Sócio-Torcedor: Paysandu quer 10 mil adimplentes; Remo sonha com 7 mil

Paysandu anuncia reformulação no Programa Sócio-Torcedor

Sócio-Torcedor azulino contempla várias classes sociais

 

 

 

Esportes