Jovens atletas fazem vaquinha online para participarem de competição internacional de jiu-jitsu na Irlanda

Andressa Santiago, de 12 anos, e Júlio César, de sete, se classificaram para participar do European Kids de Jiu-jitsu, em Dublin

Aila Beatriz Inete
fonte

O sonho de se tornar um atleta de sucesso começa, quase sempre, na infância. Mas seguir isso nem sempre é fácil. Na maioria das vezes, este desejo vem junto com muitos desafios e dificuldades. Mesmo tão novos, Andressa Santiago, de 12 anos, e Júlio César, de apenas sete, já sabem bem o que isso. Os dois foram selecionados para participar do torneio de jiu-jitsu European Kids, que ocorre na Irlanda, no dia 4 de dezembro, e estão fazendo uma vaquinha para custear a ida para o evento. O European Kids Jiu-Jitsu é uma das maiores competições internacionais da categoria infantil, com representantes de vários países.  

VEJA MAIS

image Paraenses conquistam medalhas no Campeonato Sul-Americano de Muaythai no Uruguai
Com o resultado, o Brasil ficou em terceiro lugar geral no quadro de medalhas

image Paraenses conquistam sete medalhas no Campeonato Mundial de Karatê em Natal (RN)
Quatro atletas disputaram a competição que ocorreu no Rio Grande do Norte e trouxeram medalhas para o Pará

image Paratletas do Remo, paraenses conquistam medalhas na etapa regional dos Jogos Estudantis
Alessandro Ramos e João Felipe conseguiram sete medalhas, sendo cinco de ouro e duas de prata

Andressa é moradora do bairro do Coqueiro, em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém. Ela começou no jiu-jitsu há quatro anos. A mãe dela, Raquel Santiago, contou que a filha sempre teve curiosidade pelo esporte e desde que experimentou, não parou mais. 

“Ela sempre passava na frente de uma academia que tem perto de casa e ela sempre via crianças da idade dela treinando e um dia ela quis fazer uma aula experimental. Eu levei ela para fazer o teste, Andressa gostou e desde esse dia ela não saiu mais”, contou Raquel. 

Desafios 

As dificuldades para Andressa permanecer no jiu-jitsu começaram logo no início, ela não tinha kimono e nem condições para comprar um. “Eu digo que a história da Andressa é de superação. Porque nós somos de família simples e ela ainda passou dois meses treinando sem kimono. Ela treinava assim: a calça de escola dela era bem larga, dava para ela se movimentar, ela ia para a escola de manhã, chegava, almoçava, descansava e ia com a calça treinar. E assim foi durante os meses”, relatou a mãe. 

image Andressa supera as dificuldade para seguir no esporte (Arquivo pessoal)

Mesmo com todas as adversidades, Andressa, que é faixa-amarela de jiu-jitsu, seguiu e hoje é vice-campeã sul-americana e brasileira e já conquistou mais de 30 medalhas em competições. Com isso, chegar na competição internacional será muito importante para o sonho da pequena, que quer ser lutadora de MMA

Esporte no sangue

Júlio César nasceu com jiu-jitsu no sangue. O pai, César Campos, era atleta da modalidade e tem uma academia, e com apenas um ano, o pequeno Júlio já estava no tatame. À medida que o filho ia crescendo, os pais foram vendo que o menino tinha talento e no ano passado ele participou da primeira competição. 

“Em maio de 2021 as competições começaram [para ele] e nós fomos incentivando cada vez mais. O pai dele foi treinando ele. Ele faz escolinha de futebol também, capoeira e jiu-jitsu. A gente incentiva e sempre perguntando se é isso que ele quer [seguir no esporte]”, disse a mãe de Júlio, Lorena Campos.

image Júlio César começou no esporte com um ano (Arquivo pessoal)

Promessa

Com apenas sete anos, Júlio já é bicampeão mundial de jiu-jitsu, sul-americano e brasileiro. Júlio é de Capanema, nordeste do Pará. E com a oportunidade de ir para o torneio da Irlanda, a família está fazendo rifas, sorteios, pedindo doações para poder custear a ida do jovem atleta. 

Júlio já é considerado um prodígio da modalidade, são mais de 40 medalhas conquistadas. A mãe ainda explicou que o pequeno gosta de participar e se diverte nas competições. 

image São mais de 40 medalhas conquistadas (Arquivo pessoal)

Ele gosta do que faz, de participar, não forçamos nada com ele, sempre perguntamos se ele deseja participar e ele sempre diz que sim. Conversamos muito sobre essa viagem para Irlanda, colocamos os prós e contras. E ele [Júlio] bateu o martelo dizendo que queria competir. E então começamos a correr atrás”, disse Lorena. 

Dificuldades para a dupla de atletas

Os custos para a viagem são altos. Só a inscrição no campeonato custou mais de R$ 500. Andressa já conseguiu tirar o passaporte. Os dois atletas precisam garantir as passagens, hospedagens e alimentação. 

Até o momento, a vaquinha que a mãe de Andressa abriu arrecadou apenas 1% da meta. “A gente tem lutado muito para que a Andressa não pare, porque é uma coisa que ela ama fazer, ela diz que quer levar para a vida toda”, concluiu a mãe, Raquel. 

Como ajudar? 

A família de Andressa está fazendo uma vaquinha online. Além disso, é possível entrar em contato com a mãe, Raquel Santiago, por meio do número (91) 9 8420-4851

A família de Júlio César também criou uma vaquinha online e possui o pix 36.365.029/0001-14 (Academia César Campos). Para entrar em contato com a família o número é (91) 9 9623-5310

Mais Esportes
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM MAIS ESPORTES

MAIS LIDAS EM ESPORTES