Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Entre metas e objetivos ousados dentro e fora de campo: revelação do tênis paraense sonha em jogar nos Estados Unidos

Vinicius luta para atingir objetivos, entre eles, ser um atleta profissional

Braz Chucre

Exemplo de tenistas que começaram no esporte por incentivo do pai são variados. O Guga [Gustavo Kuerten] deu sua largada a partir dos 6 anos. Foi campeão do Roland Garros. É talvez o exemplo mais significativo. 

Já no âmbito belenense, há Vinícius Silva, 17 anos, cuja história se assemelha um pouco com a do catarinense. Pelo menos, no início da trajetória. Vinícius começou praticar o tênis aos sete anos por incentivo do pai jogador e também professor da nobre modalidade.

“Meu pai me levava para o Tênis Clube para ficar brincando por lá. Via o pessoal jogar e também via aquelas crianças aprendendo a jogar. Comecei também praticar”, lembra.

Nesses dez anos de jogo o paraense já possui uma fileira de conquistas em torneios nacionais e locais. No domingo (25) foi campeão da primeira fase do paraense vencendo Naldo Amorim, tenista experiente, em 'tie break', o que configura a emoção do jogo.

Com o sonho de jogador profissional, Vinicius está há três anos sob cuidados dos técnico Kiko Caetano.

Em sua simplicidade não se julga o melhor do Pará, ou seja o número um, embora venha recebendo essa honraria por parte de tenistas mais experientes. “É muito cedo para ter tal título. Ainda tenho muitas quadras pela frente”, diz.

Sonho

O objetivo na sua meta profissional é morar nos Estados Unidos para jogar e estudar. “Ingressar numa faculdade com bolsa de estudos para me diplomar em Educação Física é minha meta primordial. Me divido entre jogo e estudos para realizar meu sonho. Quero me tornar jogador profissional”, destaca. Vinicius faz o 3º ano do ensino médio.

Ainda sob tutela familiar que assume seus gastos com materiais esportivo, o tenista lembra uma vez foi premiado com dinheiro. Foi num torneio na cidade de Castanhal. Nos demais ganha troféus.

Custo

João Quaresma [Branquinho], pai do jogador, sem revelar valores, diz que o custo é muito alto para manter o ‘menino’ em atividades. “Estamos buscando apoio para ele”, aponta. Branquinho abraça a vontade de filho morar e jogar nos Estados Unidos. “Estamos de acordo”, detalha.

Vinicius faz seus treinos na Set Point, academia, com os técnicos Kiko Caetano, Amanda,  Ítalo Coelho e Matheus Coelho.

Mais Esportes
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM MAIS ESPORTES

MAIS LIDAS EM ESPORTES