Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Fellipe Bastos diz ter sofrido racismo por parte de torcedor do Atlético-GO: ‘Me chamou de macaco'

Meia do Goiás disse que ficou assustado com o episódio e espera que o torcedor seja identificado para ser punido

Aila Beatriz Inete

O meia do Goiás Fellipe Bastos relatou ter sofrido ataques racista por parte um torcedor do do Atlético-GO. O jogador afirmou que foi chamado de “macaco” quando estava indo para o vestiário. O caso ocorreu no último domingo (8), no jogo entre os dois times goianos, clássico válido pelo Campeonato Brasileiro, no estádio Antônio Accioly. 

“Teve um cara ali na torcida, o segurança viu, [que] me chamou de macaco, duas vezes”, disse Bastos.

Em entrevista à Globo, o jogador contou que ficou entristecido com o episódio e que casos como esse são comuns dentro dos estádios. Chateado com o ocorrido, Fellipe Bastos afirmou que espera que o torcedor seja identificado e punido. 

"Estou muito triste, perplexo com o que aconteceu, porque não foi só uma vez. Eu pedi para ele repetir e ele repetiu. Ou seja, ele é racista, não tem outra coisa para se falar de uma pessoa que repete o ato errado. Estamos vendo acontecimentos no futebol, a gente viu contra o Fortaleza e o Corinthians [na Libertadores]. Outros casos aconteceram. Essa pessoa tem que ser identificada, tem que sofrer punição. Não acho que é o clube que tem que sofrer. É fácil identificar [o torcedor], pois ele me chamou duas vezes de macaco", declarou Fellipe. 

VEJA MAIS 

CBF propõe retirada de pontos em casos de racismo no Brasileirão, Libertadores e Sul-Americana
Vários casos envolvendo clubes brasileiros ocorreram na edição 2022 de ambos os torneios

Conmebol se pronuncia sobre casos de racismo sofridos por clubes brasileiros
Em nota, a entidade condenou as atitudes.

Pesquisa aponta futebol como modalidade que registra mais casos de discriminação racial no Brasil
Mesmo sendo um país com diversos ídolos negros, atitudes racistas são corriqueiras no esporte mais popular do país

Racismo no futebol: Relembre casos de racismo envolvendo atletas do Remo e do Paysandu
Atletas e ex-jogadores da dupla Re-Pa já sofreram com o racismo

Além disso, o meia disse que esta foi a primeira vez que sofreu um ataque racista e que  ficou assustado com o episódio.

"Já aconteceu em outros estádios, com outros jogadores, outras pessoas. Temos que dar um basta nisso, só quem sofre é que sente. Eu não queria que isso abafasse nossa primeira vitória no Campeonato Brasileiro, mas é importante falar. Estou assustado, pois é a primeira vez que acontece comigo”, relatou o meia.

No Twitter o Goiás demonstrou apoio ao jogador, repudiou o caso e escreveu que racismo é crime e “que medidas judiciais devem ser tomadas”. 

Também nas redes sociais, o Atlético-GO afirmou que repudia o ato e que "a apuração ocorre de forma responsável e com os devidos cuidados para não acusarmos ninguém de forma indevida ou cometermos injustiças". 

(Aila Beatriz Inete, estagiária, sob supervisão de Pedro Cruz, coordenador do Núcleo de Esportes)

Futebol
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM FUTEBOL

MAIS LIDAS EM ESPORTES