Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Preço dos ovos de galinha superam a inflação e ficam 14% mais caros em um ano, em Belém

O valor do alimento acompanha o aumento de outros itens da cesta básica que continua entre as mais caras do país, segundo Dieese

Luciana Carvalho

Dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese / PA) indicam que as altas expressivas de preços, também tem alcançando outros alimentos básicos da mesa dos paraenses, como os ovos de galinha. Segundo o Dieese/Pa, somente nos oito primeiros meses deste ano (janeiro a agosto), o valor dos ovos de galinha comercializados em dúzia na capital paraense registrou um aumento de mais de 14,53% contra uma inflação estimada de 5% para o mesmo período. Já nos últimos 12 meses, o reajuste acumulado foi de 14,27%, percentual também superior a inflação, estimada em torno de 10% para o mesmo período.

O valor do alimento acompanha o aumento de outros itens da cesta básica que continua entre as mais caras do país e com reajuste médio superior a 20% nos últimos 12 meses. De acordo com o levantamento do Departamento, o preço da dúzia de ovos continua com reajustes acima da inflação.

VEJA MAIS

Petrobras reduz preço da gasolina em R$ 0,25 a partir desta sexta-feira (02)
Essa é a 4ª queda no preço do combustível desde o dia 20 de julho

Região Metropolitana registra maior queda de inflação em um ano
De acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15, a Grande Belém teve queda de -0,91% em agosto

Veja os peixes que ficaram mais baratos nos mercados de Belém
Dieese e Secon divulgam levantamento que mostra redução de preço na maioria dos pescados

A pesquisa mostra que na trajetória de preços em agosto de 2021, a dúzia de ovos da marca Top foi comercializada, em média, a R$ 10,23, encerrando o ano passado (dezembro/2021) e iniciou este ano (janeiro/2022) sendo vendido, em média, a R$ 10,22. Já em de julho de 2022 o produto podia ser encontrado, em média, a R$ 11,72 e no mês passado (agosto/2022), com nova alta, estava sendo comercializado em média, a R$ 11,76. Com isso, o preço da dúzia dos ovos de galinha apresentou aumento de 0,34% no comparativo de agosto a julho desse ano. Entretanto, segundo o Departamento Intersindical, no comparativo de preços dos oito primeiros meses deste ano (janeiro a agosto de 2022), o produto acumula alta de 15,07% contra uma inflação estimada em torno de 5% para o período e nos últimos 12 meses, o reajuste acumulado girou em torno de 15% contra uma inflação estimada em torno de 10% para o mesmo período.

Já a dúzia dos ovos da marca Gaasa, também comercializada em supermercados de Belém, apresentou a seguinte trajetória de preços médios nos últimos 12 meses: em agosto/2021, a dúzia deste produto foi comercializada, em média, a R$ 8,76 e encerrou o ano (dezembro/2021) e iniciando janeiro de 2022, sendo vendida, em média, a R$ 8,74. Já em julho/2022, o produto já estava sendo comercializado, em média, a R$ 9,79 e no mês passado (agosto/2022), com mais um aumento, sendo encontrado, em média, com valor de R$ 10,01. Com isso, o preço dos ovos de galinha desta marca também apresentou aumento de 2,25% no comparativo de agosto para julho de 2022.

No balanço dos oito primeiros meses deste ano (janeiro a agosto de 2022), a alta acumulada alcançou 14,53% no preço do produto contra uma inflação estimada em torno de 5% e nos últimos 12 meses, o reajuste acumulado foi de 14,27%, percentual também superior a inflação, estimada em torno de 10% para o mesmo período.

(Luciana Carvalho, estagiária da Redação sob supervisão de Keila Ferreira, Coordenadora do Núcleo de Política).

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA