Pobreza bate recorde com 62,5 milhões de pessoas em 2021, aponta IBGE

As regiões Norte e Nordeste tinham, no ano passado, as maiores proporções de pessoas pobres na sua população

Luciana Carvalho
fonte

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados nesta sexta-feira (02), em 2021, cerca de 62,5 milhões de pessoas (29,4% da população do país) viviam em situação de pobreza. Nesse segmento, 17,9 milhões (8,4% da população) estavam na extrema pobreza. As informações são do portal Metrópoles.

Além disso, entre 2020 e 2021, houve aumento recorde nestes dois grupos: o contingente abaixo da linha de pobreza cresceu 22,7% (ou mais 11,6 milhões de pessoas); o das pessoas na extrema pobreza subiu 48,2% (ou mais 5,8 milhões).

O levantamento foi realizado com base em parâmetros definidos pelo Banco Mundial. Esses foram os maiores números e percentuais registrados desde o início da série medida pelo IBGE, em 2012.

VEJA MAIS

image Pobreza extrema cresce, aponta estudo
Número de famílias nesta situação se alastra por 25 estados

image Região Metropolitana de Belém tem mais de 816 mil pessoas em situação de pobreza
Mais de 197 mil vivem com R$ 160 ou menos por mês na capital paraense, aponta estudo

image Idosa vai às lágrimas ao falar ao vivo que não tem o que comer; vídeo
A idosa chorou ao declarar que está desempregada e que no último domingo não tinha nada para comer

O Banco Mundial adota como linha de pobreza os rendimentos per capita de US$ 5,50, equivalentes a R$ 486 mensais per capita. Já a linha de extrema pobreza é de US$ 1,90 ou R$ 168 mensais por pessoa.

O levantamento do IBGE indica também que a proporção de pretos e pardos abaixo da linha de pobreza (37,7%) é praticamente o dobro que a proporção de brancos (18,6%) nessa situação. As regiões Nordeste (48,7%) e Norte (44,9%) tinham, no ano passado, as maiores proporções de pessoas pobres na sua população.

Em 2021, o rendimento domiciliar per capita caiu para R$ 1.353, o menor nível desde 2012. O Índice de Gini, que mede a desigualdade, voltou a crescer e chegou a 0,544, o segundo maior patamar da série histórica. Além do mais, também em 2021, a proporção de crianças menores de 14 anos de idade abaixo da linha de pobreza chegou a 46,2%, o maior percentual da série, iniciada em 2012. Esta proporção havia caído ao menor nível (38,6%) em 2020, mas, agora, teve alta recorde.

(Luciana Carvalho, estagiária da Redação sob supervisão de Keila Ferreira, Coordenadora do Núcleo de Política).

Economia
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA