Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

PIB do pará contribuiu com 2,3% das riquezas do Brasil

Resultado coloca a economia paraense no 11° lugar do ranking dos estados da federação, ficando entre os 15 estados que mais cresceram no país

Redação Integrada

O Produto Interno Bruto (PIB) do estado do Pará, em 2018, foi de R$161,3 bilhões e contribuiu em 2,3% do PIB Nacional (R$7.004 bilhões) e 42% do PIB da região Norte (R$387 bilhões). O resultado coloca a economia paraense no 11° lugar do ranking dos estados da federação, ficando entre os 15 estados que mais cresceram no país. Os dados fazem parte do levantamento feito pela Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e divulgado na manhã de sexta-feira(13). O PIB do Pará representa a soma de todas  as riquezas produzidas no estado.

De acordo com o levantamento, em 2018, em termos de crescimento real, o PIB do Pará apresentou taxa abaixo da média da Região Norte (3,04%) e acima do PIB Nacional (1,8%). O Pará mantém sua recuperação econômica, iniciada em 2017, após os dois anos de retração (-0,9% em 2015 e -4,0% em 2016). 

Segundo o estudo, o PIB per capita estadual em 2018 foi de R$18,952, apresentando leve aumento em 2,2% em comparação aos R$18.554 de 2017. Com este resultado, o Pará alcançou a 20° posição do ranking. A relação entre o PIB per capita do Pará com o PIB per capita da Região Norte (R$21.314) foi de 0,89 e sobre o PIB per capita do Brasil (R$33.594) foi de 0,56. 

Entre as atividades que apresentaram os maiores crescimentos em volume do PIB, em 2018, estão: Eletricidade e gás, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação (13,0%); Indústrias extrativas (10,0%); Comércio, manutenção e reparação de veículos (6,7%); Intermediação financeira (7,5%; e Atividades profissionais, científicas e técnicas (6,3%). 

A Agropecuária foi o único setor a perder participação na composição da economia do estado, em 2018, passando a contribuir com 10,2%, uma redução de 1,6 ponto percentual em relação ao ano inteiro. Já os Serviços, sem a inclusão do valor da Administração Pública, contribuiu com 36,8%, aumento de 1,4 ponto percentual. O setor da Indústria participou com 31,0% e a atividade Administração Pública, com 22,1%. 

Palavras-chave

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA